Diversão do Guanabara, por Rogério Perez

A calmaria do cotidiano no interior às vezes nos leva de volta à loucura da capital e justamente naqueles dias que parecem uma roda gigante com tantas subidas e decidas que enfrentamos no stress de Beagá.

Um dos bons hábitos que deixei de herança com o Leonardo, o mais velho dos meninos, é a leitura do jornal e revista impresso. Infelizmente, deu a ele o direito de me adaptar, ou pelo menos tentar, às novidades do mundo moderno.

Com o auxílio do Lucas, neto mais novo, que serve de um guia intelectual para assuntos de “zap zap”, quando Leonardo avisa sobre as novidades lá, recebo no grupo da Perez Family o link do Programa “MG no AR”, com apresentação do competente e amigo Eduardo Costa, que informa sobre a possibilidade de fechamento do Parque de Diversão Guanabara.

O sentimento inicial foi da velha e boa roda gigante, mas desta vez na descida que ela proporciona na vida do belorizontino saudosista.

Como assim fechar o Parque Guanabara? Já não bastou eliminarem o Cine Pathé!?

A ambulância ou banheirão, como singelamente era apelidada a Caravan branca e imponente do Tio Luiz, meu saudoso irmão e amigo, serviu de condução para acompanharmos nossos filhos, sobrinhos e alguns vizinhos em tardes prazerosas na orla da Lagoa da Pampulha nos muitos brinquedos do parque, que foi inaugurado em 1951 e escolheu BH como porto seguro depois de uma peregrinação por cidades do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais.

Há cinco décadas, o parque transformou a vida cultural de Belo Horizonte e por consequência de uma geração de cidadãos, que aproveitavam os domingos sem futebol no Mineirão para se esbanjar nos 23 brinquedos que sempre fizeram a alegria e satisfação daquela turma.

Nestes cinquenta anos, a Perez Family frequentou o parque através das diversas gerações.

Primeiro guiada pela Caravan branca do Luiz. Mais tarde, no Azeitona, ou simplesmente o fusca verde do padrinho Bruno, meu filho, que serviu de transporte para levar os meus netos neste cantinho especial e prazeroso de Beagá na companhia dos filhos, aqueles que sabiam cada segredo do parque.

A diversificação de atrações agrada todas as gerações, de crianças aos adultos. Para a turma que ainda não teve o prazer de conhecer, lá temos: carrossel, minhocão, bate bate, trem fantasma, uma enorme roda gigante, entre tantos outros.

Refletindo do sofá amarelo, percebo o tanto que este parque fez a minha alegria e de meus familiares e amigos, no alto da roda gigante e que agora, corre o risco de fechar e nos levar na parte debaixo desse ciclo que infelizmente nos deixam órfãos de locais como este.

Os mineiros precisam mobilizar-se, juntos aos responsáveis pelo parque e autoridades para a retomada das atividades com os devidos cuidados que a pandemia requer e quem sabe agendamentos antecipados para acessos (como nos grandes parques mundiais) para continuarmos com este importante centros de alegria e sonhos.

Que venha logo o 2021 e que o colega Eduardo Costa possa transmitir em breve no seu programa a reabertura do parque, a vacinação contra COVID e quem sabe a 24ª atração do Parque de Diversão Guanabara no 124º aniversário de Beagá.

O que faz bem, deve ser preservado e ampliado! É o que desejo para as novas gerações da Perez Family e para toda a Beagá.

Viva a diversão do Guanabara!

 

[25/12/20]

 

Veja também

Um sobrevivente da Covid, por Márcio Metzker

Soube por nossa presidente Alessandra Mello que a Covid mata um jornalista por dia no ...

12 comentários

  1. Excelente crônica. Parabéns.

  2. Beagá merece o melhor no próximo ano de 2021. A pandemia afetou muito a economia porém o pior estrago foi na saúde mental da população . Precisamos de tomar as medidas preventivas para as alegrias voltarem ao nosso cotidiano .

  3. Marcus Vinicius Bomtempo Resende

    Belo texto do Perez, não há motivos para se fechar o que compõe o entorno da lagoa da Pampulha, todas as famílias de BH, já se divertiram no Parque Guanabara, eu até perdi meu filho lá num Domingo, ele tinha 3 anos e interessante foi encontrado por um amigo que eu nem sabia que ali estava, vejam todos nós temos alguma bela lembrança do Parque.

    • O parque Guanabara é um local de muitas boas recordações de toda a população e merecer ser mantido e ir abrindo com todo o cuidado e planejamento necessário

  4. LUIZA DE SOUZA COUTINHO

    Oi tio Rogério, obrigada por compartilhar suas reminiscências sobre o Parque Guanabara que espero não tenha sido vítima dos lockdown e não encerre suas atividades. Um abraço Luiza Coutinho

  5. Que esse pedido seja atendido e que não tenhamos esse parque tão tradicional para os cidadãos de BH e visitantes fechado!!!

  6. Excelente artigo! O Guanabara é a nossa praia.
    Que venha 2021, com mais alegria e menos nostalgia.

    • Olá Gustavo . A família Rocha, comandada pelo competente amigo e juiz , Dalai Rocha, com certeza teve bons momentos no Guanabara. Abraço para você e todos familiares

  7. Obrigado por nos prestigiar , Luciana

Deixe uma resposta para Marcus Vinicius Bomtempo Resende Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *