Ataque a jornalista da Folha é episódio grotesco de violência contra mulher

Por Leonardo Sakamoto, colunista do UOL

Logo após o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, declarar, no Congresso Nacional e em suas redes sociais, que a jornalista Patrícia Campos Mello pode ter “se insinuado sexualmente em troca de informações para tentar prejudicar a campanha de Jair Bolsonaro”, uma maré de mensagens violentas tomou conta da internet com o objetivo de destruir a reputação dela.

O ressentimento bolsonarista contra uma das principais repórteres investigativas do país – responsável por uma série que revelou como empresários gastaram milhões de reais em disparos em massa de mensagens de WhatsApp para beneficiar o então candidato Bolsonaro – mostrou novamente seus dentes afiados.

Clique AQUI para ler a íntegra na coluna do Sakamoto.

(Crédito da foto: Jane de Araújo / Agência Senado.)

[12/2/20]

 

Veja também

Prazo de inscrição no Prêmio Neusa Maria de Jornalismo termina neste sábado 24/10

O prazo para inscrição de reportagens no 1º Prêmio Neusa Maria de Jornalismo termina neste ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *