Sindicato reúne-se com nova direção do Hoje em Dia e apresenta demandas dos jornalistas

O Sindicato dos Jornalistas reuniu-se nesta terça-feira 23/2 com a nova direção do jornal Hoje em Dia, representada pelo presidente Luciano Resende. A reunião foi solicitada pelo Sindicato para apresentar o passivo trabalhista da empresa e demandas dos jornalistas, a primeira das quais é o atraso no adiantamento do salário, que deveria ter sido pago no dia 20. Além disso, o Sindicato reclamou do atraso de mais uma semana no pagamento do salário de janeiro.

O novo presidente da Edminas S/A alegou problemas técnicos na transferência da empresa e prometeu efetuar o pagamento o mais breve possível. Participou da reunião o ex-vice-presidente da empresa, Antônio Carlos Tardeli.

O Sindicato tratou também dos atrasos nos depósitos do FGTS e do não reajuste do vale-alimentação nos anos anteriores, o que levou o benefício a ficar defasado. Comunicou que o FGTS, que vem sendo descontado dos trabalhadores, mas não depositado pela empresa, é objeto de reclamação trabalhista movida pelo Sindicato, cuja primeira audiência está marcada para esta quinta-feira 25/2.

O novo presidente do Hoje em Dia pediu ao Sindicato que solicitasse o adiamento da audiência, mas o presidente Kerison Lopes não aceitou. Ele argumentou que se trata da primeira audiência e que, se a empresa apresentar uma proposta de solução do problema, nada impede que o Sindicato retire a ação, em qualquer momento.

O Sindicato questionou ainda sobre a mudança da sede do jornal e foi informado de que, pelo menos até o final deste ano, o jornal permanecerá no mesmo endereço, embora o prédio não tenha feito parte da negociação entre o grupo Bel, antigo proprietário, e os novos donos da empresa.

Assembleia

Logo após a reunião, os dirigentes do Sindicato foram à redação e realizaram uma assembleia, na qual repassaram as informações aos jornalistas. O clima entre os profissionais era de apreensão com a mudança de direção e indignação pelos atrasos no salários e FGTS. Os trabalhadores também reclamaram que aqueles que saíram de férias não tiveram seus salários depositados adequadamente.

Diante de tudo disso, a assembleia aprovou dar prazo à empresa até esta quinta-feira para pagamento do adiantamento salarial. Caso ele não seja efetuado, uma assembleia na porta do jornal, na sexta-feira 26/2 decidirá que ações serão feitas para pressionar a empresa.

A decisão da assembleia foi comunicada pelo Sindicato ao ex-vice-presidente Antônio Carlos Tardeli, nomeado pela empresa para atuar como interlocutor junto aos trabalhadores nesse período de transição.

Veja também

Certificados do Curso Livre de Jornalismo já estão disponíveis

Se você se inscreveu antecipadamente e assistiu 50% das aulas da segunda temporada do Curso ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *