Sindicato pede que jornalistas paguem Taxa de Fortalecimento; veja como fazer

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais (SJPMG) conta com sua colaboração financeira para continuar existindo. Por isso, faz um apelo para que todos paguem a Taxa de Fortalecimento, uma contribuição que o empregado faz em favor do sindicato quando é fachada a Convenção Coletiva de Trabalho, que beneficia todos os trabalhadores da categoria, independentemente de serem ou não sindicalizados.

O valor corresponde a um percentual de 2% sobre o salário de cinco horas e deve ser pago de uma única vez, mediante desconto em folha, pelos jornalistas das emissoras de rádio e televisão de Belo Horizonte, cuja convenção coletiva foi assinada esta semana. Para saber mais sobre os benefícios previstos na convenção, clique aqui.

Antes, o desconto era feito automaticamente pelas empresas e repassado ao Sindicato. Quem não concordava com a taxa tinha que fazer uma carta de oposição. Para dificultar a arrecadação da taxa e, com isso, esvaziar o caixa do Sindicato, muitas emissoras enviavam um modelo padronizado para os trabalhadores assinarem.

Inversão de papéis – Se antes o Sindicato já era obrigado a enfrentar todas essas barreiras, imagine hoje. Ficou pior ainda, pois ocorreu uma inversão do ônus de recolhimento. O desconto não é feito mais automaticamente. Quem quiser contribuir com o Sindicato, tem agora que se manifestar favoravelmente ao desconto, por meio de uma carta assinada de próprio punho e enviada ao sindicato em um prazo muito curto. Tudo isso no meio de uma pandemia, que colocou muitos jornalistas em teletrabalho.

Antes da pandemia, o sindicato visitava algumas redações (nem todas, pois muitas emissoras não aceitam a presença da entidade em suas instalações) e entregava uma carta de concordância, que o trabalhador preenchia com seus os dados para que a empresa fizesse o desconto. Com o fechamento das redações e o teletrabalho, isso ficou mais difícil ainda.

Mas a gente não pode desistir. O SJPMG apela aos jornalistas para que autorize essa contribuição, já que a sustentação financeira da entidade tem sido cada dia mais difícil com o fim do imposto sindical, o crescimento do desemprego e a pandemia, que impede que a entidade alugue seu espaço para fortalecer suas finanças. Ao mesmo tempo que o dinheiro escasseia, os problemas crescem assustadoramente e a entidade precisa de recursos para pagar água, luz, telefone, assessoria jurídica e sua única funcionária.

Em um salário de R$ 2 mil, o desconto de 2% corresponde a apenas R$ 40. Convenhamos que não é muito. Mas, para o Sindicato, a soma de centenas de contribuições vai fazer a diferença. Em 2019, que foi o último ano em que essa contribuição foi recolhida, o valor total foi de quase R$ 20 mil. Esse valor paga mais de um mês das despesas de funcionamento do seu Sindicato.

É simples – Por isso, contamos com essa contribuição dos jornalistas. Basta mandar – via zap ou email – uma carta de próprio punho (escrito à mão, não pode ser digitado) assinada autorizando o desconto, que será feito em uma única parcela. Para facilitar, o sindicato sugere um modelo de autorização, que deve ser enviado, impreterivelmente, até a próxima segunda-feira. O texto é o seguinte:

AUTORIZAÇÃO PARA DESCONTO DA TAXA ASSISTENCIAL E CUSTEIO DO SINDICATO DOS JORNALISTAS PROFISSIONAIS DE MINAS GERAIS

Eu, (NOME DO/A JORNALISTA),
CPF nº (COLOCAR CPF), jornalista da empresa (NOME DA EMPRESA),
autorizo o desconto da taxa de financiamento e custeio do SJPMG no valor de 2% (dois por cento) sobre o salário devido.

Belo Horizonte (MG),
(DIA), de Abril de 2021.

(Assinatura do/a Jornalista)

 

Clique na imagem para ampliar!

Veja também

SJPMG repudia censura imposta pela Rádio Favela ao professor Dirceu Greco, médico pioneiro na luta contra a AIDS

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais (SJPMG) manifesta sua total solidariedade ao professor ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *