Boletim do Dieese mostra que pandemia mudou negociações salariais no Brasil

A pandemia mudou as negociações coletivas de trabalho em todo o país no primeiro semestre de 2020. Negociações de reajustes salariais foram adiadas e deram lugar a questões relativas à covid-19.

As informações são do De Olho nas Negociações, novo boletim mensal do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), que apresenta informações sobre as negociações coletivas no país, usando dados do Sistema Mediador.

A queda no número de registros de negociações salariais ocorre em todas as datas-bases do semestre, mas especialmente em abril (41%) e maio (39%).

A data-base dos jornalistas mineiros é 1º de abril, exatamente o mês em que houve a maior queda.

Em Minas Gerais, as negociações do SJPMG com os patrões, que já foram difíceis nos últimos anos, estão emperradas.

De acordo com o boletim, entre março (quando a pandemia começou a ser tratada pela negociação coletiva no Brasil) e junho foram registrados 7.398 instrumentos coletivos no Mediador.

Diversos documentos analisados incluíram cláusulas que informavam o adiamento das negociações dos reajustes salariais para o pós-pandemia.

Também segundo o boletim, todos os municípios brasileiros estão cobertos por algum instrumento coletivo com cláusulas sobre a covid-19. A proporção de instrumentos coletivos com cláusulas relacionadas à pandemia varia entre 27% e 87%, a depender da cidade, com média de 53%.

No primeiro semestre de 2020, o número de cláusulas relativas a reajustes salariais foi 28% inferior ao negociado no mesmo período de 2019, conforme registrado no Sistema Mediador.

O documento afirma que, como não houve redução no número de registros de instrumentos coletivos no período, a queda no número de reajustes pode ser resultado de mudança do objeto das negociações coletivas, que passaram a focar questões relativas à pandemia da covid-19.

Muitos instrumentos coletivos analisados pelo Dieese abordaram o tema da pandemia nas cláusulas contratuais e diversos documentos incluíram cláusulas que informavam o adiamento das negociações dos reajustes salariais para o pós-pandemia.

Clique AQUI para ler o boletim De Olho nas Negociações.

(Com informações do Dieese.)

 

[20/8/20]

 

Veja também

Emissoras educativas mineiras migram da Rede Minas para a TV Cultura de SP

Emissoras de televisão educativas de Minas Gerais lideradas pela Associação Mineira de Rádio e Televisão ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *