Relatório registrou 3,2 milhões de publicações com ataques à imprensa no ano passado

A imprensa profissional foi alvo de cerca de 11 mil ataques por dia nas redes sociais em 2019, segundo mostrou relatório divulgado nesta quarta-feira 11/3 pela Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert).

De acordo com o documento, o número de casos de violência contra jornalista foi reduzido em 50,78% no ano passado, em relação a 2018. Foram 56 casos contra 78 profissionais.

Entre eles, estão registros de agressões físicas, como socos e pontapés (24), ofensas (8), intimidações (6), ameaças (5), censuras (5), ataques e vandalismos (4), assédios sexuais (1), injúrias raciais (1), detenções (1) e roubos e furtos (1).

Nas redes sociais, em 2019, 130 milhões de brasileiros com acesso ao Twitter produziram 6,2 bilhões de posts. Desse número, 39,2 milhões de posts citaram as palavras “mídia”, “imprensa”, “jornalista” e “jornalismo”.

Segundo a pesquisa, desse conjunto, 3,2 milhões (10%) de publicações vinham de sites conservadores e continham palavras de baixo calão ou expressões que descredibilizam o trabalho da imprensa. Já 714 mil tuítes foram produzidos por canais de esquerda.

Foi a primeira vez que a Abert monitorou casos ocorridos em redes sociais.

(Publicado pelo Carta Capital.)

[12/3/20]

 

Veja também

FIJ solidariza-se com a Fenaj, os jornalistas e os brasileiros

A Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ) publicou, na última quarta-feira (25/3), nota em solidariedade aos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *