Sindicato implementa propostas para levantamento de fundos aprovadas em assembleia

O Sindicato continua colocando em prática as ações aprovadas na assembleia de fevereiro para levantar recursos para sua manutenção, que ficou comprometida com a reforma trabalhista. Depois da festa do Dia do Jornalista, realizada na sexta 7/4, duas novas propostas estão sendo executadas esta semana.

Uma delas é a urna para depósito de contribuições voluntárias, que já foi instalada e recebe qualquer quantia em dinheiro (foto). Ela se destina principalmente aos frequentadores da Casa do Jornalista, que diariamente recebe públicos variados, não apenas jornalistas, e desejam colaborar.
A outra proposta é o Livro de Ouro, que pretende arrecadar recursos junto amigos e simpatizantes que podem fazer contribuições em dinheiro mais significativas. O livro começará a ser passado nos próximos dias.

Em março foi realizado o Bazar dos Jornalistas, com grande sucesso. Foram vendidas roupas, calçados e outros objetos, além de livros e discos. Em consequência do grande número de doações, o bazar continuará funcionando enquanto houver estoque, e os jornalistas que vierem ao Sindicato estão convidados a visitá-lo. Os espaços da Casa do Jornalista, que sempre foram cedidos gratuitamente a jornalistas e não jornalistas, para realização de eventos e reuniões, passaram a ser alugados, como forma de também gerar renda. Outras propostas estão em andamento.

Sindicalização, inadimplemento, anuidade

Essas ações, no entanto, são emergenciais e visam a garantir o pagamento das despesas urgentes do Sindicato. As ações fundamentais, que possibilitarão que o Sindicato não feche e se fortaleça, buscam o envolvimento dos jornalistas e o reconhecimento da importância da entidade para a defesa dos interesses da categoria.

O principal esforço da diretoria é aumentar o número de filiados e o adimplemento. No dia da assembleia, o Sindicato tinha 3.025 associados e apenas 493 deles estavam em dia com suas anuidades até 2017.

O Sindicato precisa que pelo menos metade dos inadimplentes fique em dia para se manter durante 10 meses, considerando as despesas atuais.

A assembleia de fevereiro aprovou por unanimidade a adesão da categoria ao pagamento da contribuição sindical, que a reforma trabalhista tornou opcional. A contribuição sindical corresponde a um dia de salário do trabalhador.

O corte das fontes de receita dos sindicatos é parte do projeto político do golpe de 2016 para enfraquecê-los, assim como a experiência vem confirmando que as mudanças na legislação trabalhista atendem aos interesses dos patrões e roubam direitos dos trabalhadores.

O sindicato é mais importante do que nunca. Os proprietários de empresas de comunicação, que antes mesmo do golpe já vinham cometendo todo tipo de irregularidades trabalhistas e apoiam as reformas reacionárias, não perderam tempo para tentar aumentar a jornada de trabalho dos jornalistas, entre outros abusos.

A anuidade de 2017 é de R$ 255 para jornalistas da capital e R$ 129 para jornalistas do interior. Aqueles que devem também anuidades até 2015 ficam em dia pagando R$ 315 (capital) e R$ 165 (interior); aqueles que devem também 2014 e anos anteriores ficam em dia pagando R$ 350 (capital) e R$ 175 (interior).

Se você é um sindicalizado inadimplente e deseja ficar em dia, pode ligar para o Sindicato, nos números 3224-5011 e 3224-5450. A anuidade para novos sindicalizados é de R$ 150 (capital) e R$ 75 (interior).

O Sindicato tem 325 associados aposentados, que não pagam anuidade. Alguns, no entanto, desde a assembleia, vêm manifestando interesse em colaborar com o Sindicato neste momento difícil e o têm feito. Toda ajuda é bem-vinda.

[11/4/18]

 

Veja também

Sindicato repudia prisão preventiva do jornalista Márcio Fagundes

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais vem a público repudiar a prisão preventiva ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *