Atlético recua e repórter da Inconfidência pode entrar na Cidade do Galo

O Clube Atlético Mineiro voltou atrás na proibição de entrada do repórter Leo Gomide, da Rádio Inconfidência, na Cidade do Galo. A decisão foi anunciada pelo diretor de Comunicação do clube, Domênico Bhering, pelo Twitter, na terça-feira 13/2.

A proibição aconteceu depois de atrito do então treinador do clube Oswaldo de Oliveira com o repórter, durante entrevista coletiva, na quarta-feira 7/2. Mesmo com a demissão do treinador, no dia 9/2, o presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, manteve a proibição.

Para o Sindicato, a atitude do clube configurou ataque à liberdade de imprensa, assédio e cerceamento ao direito ao trabalho. O fato gerou muita insatisfação dos jornalistas que cobrem o Atlético e várias denúncias foram feitas ao Sindicato.

Por solicitação do Sindicato, o Ministério do Trabalho e Emprego marcou uma mediação para o clube explicar o motivo da decisão. O Sindicato também acionou a Comissão de Liberdade de Expressão da Ordem dos Advogados do Brasil Seção Minas Gerais (OAB-MG) e divulgou seu protesto aos torcedores, exibindo faixa e distribuindo um boletim, durante jogo do Atlético no sábado 10/2 (foto).

Ao voltar atrás na sua decisão, o Atlético reconheceu implicitamente seu erro. O Sindicato espera que isso signifique um novo relacionamento do clube com os jornalistas, baseado no respeito ao trabalho profissional, e que fatos como aquele não se repitam.

[15/2/18]

Veja também

Campanha Salarial 2020 dos jornalistas, assessores e radialistas: saiba como estão as negociações com os patrões

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais e o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *