SJPMG vai à OAB e ao Ministério Púbico em defesa dos jornalistas agredidos

O Sindicato dos Jornalistas de Minas formalizou esta semana junto à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MG) e à Procuradoria-Geral de Justiça o pedido para que sejam devidamente apuradas as agressões praticadas contra os jornalistas que estavam acompanhando, semana passada, a desmontagem do acampamento de bolsonaristas em frente à IV Região Militar, na avenida Raja Gabaglia, na região central de Belo Horizonte.

O documento foi entregue na terça-feira ao presidente da OAB-MG, Sérgio Rodrigues Leonardo, e ao diretor de Inclusão da entidade, William Santos; e na quarta ao procurador-geral de Justiça de Minas, Jarbas Soares Júnior.

Nas duas ocasiões, a vice-presidente do Sindicato dos Jornalistas, Lina Rocha, reforçou a importância da identificação, indiciamento e punição dos agressores nos termos da legislação vigente no país. Lina Rocha também cobrou que as duas instituições busquem uma explicação para a inércia dos policiais militares por ocasião das agressões. Segundo Lina Rocha, os PMs presentes acompanharam as agressões mas nada fizeram para impedi-las.

Ao receber o documento, Sérgio Leonardo anunciou a criação de uma comissão para acompanhar a apuração do caso. Reafirmou também o apoio da instituição à defesa do estado democrático de direito, dentro do qual os jornalistas têm, segundo ele, papel fundamental a desempenhar.

Sérgio Leonardo instituiu, também na terça, na OAB-MG, o Observatório da Democracia, que irá receber denúncias de atos antidemocráticos. As denúncias deverão ser enviadas para o e-mail observatoriodademocracia@oabmg.org.br.

O presidente da AOB-MG, Sérgio Leonardo, fala à imprensa após receber o documento do Sindicato dos Jornalistas de Minas Foto: SJPMG/Divulgação

O advogado Gregório Andrade, que atua nesse caso pelo Sindicato dos Jornalistas, ressaltou a importância da imprensa como defensora da democracia. “O jornalismo é o esteio do estado democrático de direito”,  afirmou Gregório Andrade. Por isso, ele espera que todos os culpados sejam devidamente identificados e punidos. No seu entendimento, a impunidade estimula a violência contra os jornalistas.

Após receber a representação do Sindicato dos Jornalistas, Jarbas Soares Júnior afirmou que os fatos serão investigados rapidamente, para que a sociedade tenha uma resposta imediata. “Não podemos permitir que em um estado democrático de direito, os jornalistas sejam violentados”. Ele acredita que a investigação chegará a uma conclusão rapidamente, uma vez que existem imagens e testemunhas.

Jarbas Soares Júnior anunciou também o estudo, pelo Ministério Público, da criação, na instituição, de um órgão que atue contra a violência à liberdade de imprensa. “Nosso objetivo é ter um órgão que funcione para defender as balizas do regime democrático. A liberdade de imprensa é predicada do estado de direito”, ressaltou o procurador-geral de Justiça de Minas.

 

Veja também

Violência contra jornalistas - reproducao Youtube

Em 2022, a cada dia um jornalista foi agredido

As agressões diretas a jornalistas tiveram crescimento em todas as regiões do país, com repórteres, ...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *