Assembleia discutiu proposta para rádio e TV. Votação será on line

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais (SJPMG) fez hoje, 18, de manhã uma reunião com a categoria de rádio e televisão (capital e interior) para discutir a proposta de campanha salarial de 2020 apresentada pelo sindicato patronal de rádio e TV do Estado na última rodada de negociação. A proposta foi explicada pela presidente do SJPMG, Alessandra Mello, e, atendendo a pedidos dos jornalistas, a consulta será feita de maneira sigilosa, por meio de um formulário enviado para o zap para quem se cadastrou e que também disponibilizado no site da entidade por meio deste link (clique para acessar).

É muito importante que todos votem. Quem quiser receber o formulário pelo celular basta mandar o nome completo e o veículo que trabalha para (31) 98798.2198 ou (31) 98239.4231 que enviaremos. Caso a proposta não seja aceita, será feita uma nova convocação para a discussão de uma contraproposta.

Em todas as discussões, o Sindicato das Empresas Proprietárias de Rádio e Televisão da capital insiste em não pagar o abono, uma conquista histórica dos jornalistas e radialistas de Belo Horizonte. Também não aceita pagar integralmente o aumento retroativo à data-base da categoria (todo dia 1º de abril). Alegando pandemia, as negociações sobre a campanha salarial foram paralisadas por iniciativa do sindicato patronal em abril do ano passado e só retomadas em setembro.

A proposta das empresas para este ano é zero de abono e apenas 3,3% de reposição da inflação, sem nenhum ganho real. Em relação ao retroativo, a proposta é que ele seja pago a partir de setembro , e não de abril e em forma de abono (sem que seja incorporado ao salário), dividido em duas parcelas. No caso dos jornalistas de rádio e televisão do interior, a proposta é a mesma da capital. Lembrando que nesse caso nunca houve abono. Em abril desse ano, devem ser iniciadas as negociações da campanha salarial de 2021.

A proposta em votação diz respeito à data-base do ano que passou (1º de abril de 2020). O SJPMG considera essa proposta a pior que já foi apresentada pelos patrões há décadas. Nos últimos anos sempre houve tentativa de cortar o abono salarial, mas nesse ano eles se mantiveram intransigentes e não aceitaram discutir nenhum valor. Proposta semelhante foi rejeitada pelos radialistas na capital.

Acesse o formulário de votação.

[18/2/2021]

Veja também

Jornalistas de Minas dizem não à violência de gênero e alertam categoria sobre a cobertura jornalística do tema

Nesse mês de agosto, marcado pelo combate à violência contra mulher, o Sindicato dos Jornalistas ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *