Afinal, assessor de imprensa é jornalista?

Classificar assessor de imprensa como jornalista é um assunto muito polêmico na comunicação social. Sobre o tema, há diversos pontos de vistas que alimentam à discussão historicamente. Afinal de contas, essa classificação está correta?

Antes de se aprofundar em qualquer questão acerca da polêmica, é importante enfatizar um ponto relevante. Atualmente, não existe nenhuma lei em vigor que traga a resposta definitiva sobre o tema.

A Federação de Jornalistas promoveu, em 2018, uma campanha junto aos sindicatos da categoria. Na ocasião, os órgãos defendiam: “assessor de imprensa é jornalista”. O objetivo era garantir ao profissional de AI a jornada especial de trabalho, assim como os colegas de redação.

Porém, em junho deste ano, ao contrário do propósito da campanha promovida pela Fenaj, a 4ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho julgou improcedente a pretensão de um jornalista fora do ramo usufruir da carga horário destinada à profissão de jornalista.

Relação entre jornalista de redação e assessor de imprensa

Levando em consideração o mercado de trabalho, nota-se a similaridade na rotina de ambos os nichos. Por exemplo, o assessor de imprensa, assim como jornalista de redação, cumpre o trabalho de apurar informações diariamente (mesmo que juntos a clientes). Além de produzirem conteúdos relevantes para divulgação constantemente. Nos bastidores, aliás, muito assessor de imprensa reclama (quase sempre com razão) dos profissionais do “outro lado do balcão” que simplesmente “copiam e colam” os materiais enviados.

As semelhanças entre as ocupações está ligada diretamente ao processo de produção. E não para por aí. No meio acadêmico, a situação é praticamente a mesma enfrentada no dia a dia do mercado de trabalho.Muitas faculdades e universidades espalhadas Brasil afora considera – oficialmente – as atividades de assessoria de imprensa como parte do jornalismo.

Ao analisar a grade dos cursos de graduação em jornalismo, vemos que há ao menos um módulo destinado completamente ao aprendizado sobre a área de assessoria de imprensa. É o caso de faculdades que são vistas como referência, inclusive ocupando as primeiras posições da última edição do Ranking Universitário da Folha. Sãos os casos de Cásper Líbero, Metodista, ESPM e PUC-SP.

“Assessoria de Imprensa e Comunicação Corporativa”. Disciplina no segundo ano do curso de jornalismo da Cásper Líbero.

“Assessoria de Comunicação”. Módulo presente no terceiro período da graduação jornalística da Metodista.

“Relacionamento com a mídia e influenciadores digitais (assessoria de imprensa)”. É uma das aulas previstas na matriz curricular de jornalismo da ESPM.

“Comunicação Institucional em Jornalismo”. Disciplina compõe a grade do segundo semestre do curso de jornalismo da PUC-SP.

O fato de aulas sobre assessoria de imprensa estarem presentes em graduações de jornalismo foi mencionado por Anderson Scardoelli, editor sênior do Comunique-se. Em vídeo, ele fala do assunto:


Principais diferenças entre as áreas

A principal diferença entre as profissões está no objetivo final de cada ação. A missão do jornalista de redação é atender à sociedade com notícias consideradas de interesse público. Por outro lado, o assessor de imprensa presta serviços diretamente para uma empresa, marca ou personalidade — e acaba por atuar como sua representante, sua porta-voz.

Relacionamento entre as profissões

Apesar dos pesares, a relação entre jornalista de redação e assessor de imprensa ocorre diariamente. Em muitos casos, inclusive, o relacionamento é próximo e sadio. Se bem executado, a prática pode render resultados expressivos em via de mão dupla.

O jornalista de redação, na busca diária pela notícia, encontra no assessor de imprensa um contato relevante. Além do acesso direto à informações pertinentes, tem facilidade para conversar com uma determinada fonte importante.

O assessor de imprensa, por sua vez, tem o release publicado e garante a visibilidade na mídia de seu assessorado. Garantindo sua função de trabalhar a imagem da empresa diante da imprensa.

Conclusão

Na prática, podemos afirmar que sim. O assessor de imprensa é jornalista. Desde o processo de produção dos releases, que contempla o processo de apuração de informações e a produção textual até mesmo a sua formação acadêmica.

(Publicado pelo Comunique-se.)

 

Veja também

Ética jornalística: o desabamento do Edifício Andrea, em Fortaleza

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará (Sindjorce) e a Federação Nacional dos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *