Vice-governador Paulo Brant afirma que Rádio Inconfidência não vai acabar

Em conversa com o radialista e jornalista Tutti Maravilha (foto), no programa Bazar Maravilha, o vice-governador de Minas Gerais, Paulo Brant, disse que a Rádio Inconfidência é um patrimônio dos mineiros e nenhum governo tem direito de fechá-la. “Ninguém pode mexer (na rádio)”, disse Brant, depois de fazer muitos elogios à emissora pública, que acaba de completar 83 anos.

Ao falar da situação cultural em Minas, o vice-governador disse que está lutando para que o estado apoie um pouco mais a cultura. “A situação financeira está muito ruim, mas vai passar”, disse. Segundo ele, algumas atividades culturais não sobrevivem sem a ajuda do Estado. Ele citou como exemplo a Filarmônica, que funciona no mesmo prédio ocupado pelas emissoras públicas Rádio Inconfidência e TV Minas.

O vice-governador falou ao vivo no programa, na quarta-feira 4/9, a convite do apresentador, de quem é amigo. Ele fazia uma visita à Filarmônica. Elogiou a Inconfidência como uma rádio que promove Minas e o Brasil, mas não é provinciana. A emissora, segundo Brant, tem um tempero mineiro, mas não é fechada, “porque o mineiro não é fechado”. Ele concordou com Tutti Maravilha que a rádio, tanto a Inconfidência FM como a Inconfidência AM, e a TV Minas, são fundamentais para a cultura e a comunicação em Minas Gerais.

Paulo Brant chegou a mencionar que a audiência da Inconfidência subiu 42% e desejou que o Bazar Maravilha, veiculado há 32 anos, complete 50 anos no ar. Tutti Maravilha recebeu com entusiasmo as palavras do vice-governador. Disse que o que mantém a audiência do programa é a cultura mineira e lembrou que vários artistas hoje consagrados apresentaram-se pela primeira na Inconfidência.

Em abril deste ano, a nova direção da emissora chegou a comunicar aos trabalhadores a decisão do governador Romeu Zema de fechar a rádio e demitir funcionários, inclusive concursados. A decisão provocou grande reação dos trabalhadores, dos ouvintes, dos artistas e da sociedade em geral. O movimento Fica, Inconfidência conseguiu apoio de deputados estaduais e a realização de audiências públicas na Assembleia Legislativa, nas quais representantes do governo informaram que a decisão tinha sido revista.

(Na foto, Tutti Maravilha apresentando seu programa Bazar Maravilha, há 32 anos no ar pela Inconfidência FM. Crédito da foto: Maíra Cabral.)

#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

[5/9/19]

 

Veja também

Café & Chat discutirá regulação da internet nesta segunda 23/9, às 18h, na Casa do Jornalista

O Instituto de Referência em Internet e Sociedade (Iris) e o Grupo de Estudos Internacionais ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *