Livro para crianças vai narrar história de molécula d’água e abordar tragédia de Brumadinho

O jornalista Bruno Moreno e a ilustradora Anna Cunha lançaram na quinta-feira 22/3, Dia Mundial da Água, campanha de financiamento coletivo para viabilizar a publicação do livro infantil Akva, que relata a aventura de uma molécula d’água em seu retorno ao ciclo hidrológico do planeta, após milhões de anos congelada. A história é narrada em primeira pessoa pela personagem, a própria molécula d’água. Tendo “voado” milhares de quilômetros, em forma de nuvem, desde o Polo Sul até Minas Gerais, depois de descongelar na Antártida, Akva (aguado, em Esperanto) “chove” na bacia do Rio Paraopeba.

Com uma linguagem acessível ao público maior de 8 anos, a obra aborda diversos temas da atualidade e do currículo escolar, embora sem ser didática, e envolve os leitores em uma aventura. Ao longo da narrativa, a personagem assume características reflexivas e contemplativas, além de vivenciar conteúdos de Química, Física, Biologia, Geografia e História. Akva também está em consonância com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), das Nações Unidas, em especial o ODS 13.3 (Melhorar a educação, aumentar a conscientização e a capacidade humana e institucional sobre mitigação da mudança do clima, adaptação, redução de impacto e alerta precoce).

A jornada

A história começa com uma reclamação da personagem: o “combinado”, quando congelou, há milhões de anos, era que o tempo de “descanso” seria muito mais prolongado. No entanto, como o planeta está sofrendo com as mudanças climáticas que desencadeiam o descongelamento das calotas polares, a personagem “acorda” antes da hora.

Depois de deixar o estado sólido e passar ao líquido, Akva chega à Terra do Fogo, no extremo sul da América do Sul. Lá, se transforma em nuvem e vem até o Brasil, para chover na Serra de Ouro Branco, cidade em que o autor, Bruno Moreno, morou durante a infância.

No texto, a personagem segue a jornada dos cursos d’água daquela região, entra na casa de uma família, alcança o Rio São Francisco e chega até o Nordeste. Apesar de querer voltar às áreas mais frias do planeta, Akva decide ficar para contribuir com a revegetação do semiárido e da caatinga, e também matar a sede das pessoas e dos animais.

Esta era a história, concluída em 2018. No entanto, com o desastre ocorrido em Brumadinho, na bacia do Rio Paraopeba, no início deste ano, a narrativa ganhará mais um capítulo para contar o triste episódio, seguindo a mesma linha de raciocínio do livro: a interação das moléculas com o ambiente físico e antrópico.

A origem

A ideia do livro nasceu em 2014, a partir de uma viagem do autor à Argentina. No retorno ao Brasil, ao observar as nuvens, ele pensou na logística reversa das moléculas d’água que estavam nas nuvens do lado de fora do avião, e sua inspiração chegou até a Antártida. Naquele momento, em um guardanapo, escreveu a primeira ideia, que foi desenvolvida ao longo dos anos.

“Na escola aprendemos o ciclo da água, observando uma imagem que tem o mar, uma montanha e umas nuvens. No entanto, o ciclo hidrológico da Terra é muito mais complexo, é um sistema interligado, no qual a água faz parte de praticamente tudo o que acontece no planeta”, explicou Bruno. “Apresentar essa noção às crianças é fundamental para que possamos criar uma conscientização de que o planeta é um só, e tudo está integrado.”

“Uma molécula d’água que hoje está em meu corpo já pode ter rodado o mundo, passado por outras pessoas, animais, vegetais etc. Além disso, o texto contempla temas fundamentais e superatuais, baseados nas mudanças climáticas, no desflorestamento e no processo de desertificação de grandes áreas”, acrescentou o autor.

Anna Cunha se juntou ao projeto em 2019, a convite de Bruno Moreno, e produzirá 16 ilustrações para a publicação. Duas delas já estão prontas. Uma retrata a Antártida e a outra o momento em que Akva chove na Serra de Ouro Branco.

“O livro de Akva é um projeto importantíssimo e urgente, inadiável”, disse a ilustradora. “Falar com as crianças sobre água e conscientizá-las de que nosso bem mais precioso está ameaçado, de que o planeta é finito, de que cada gesto nosso, cada palavra, cada gota importa, é um dever. A única chance de iluminar o futuro é acender nas crianças o compromisso fundamental com a natureza, com o mundo, com o outro, com a promessa de vida que arde, que brilha, que nos move”, enfatizou.

Recompensas

Akva será impresso em formato aproximado A4, com 44 páginas, em cores. Como recompensas a quem contribuir no financiamento coletivo, os autores oferecem quebra-cabeça, jogo da memória, postal e pôster, todos com ilustrações de Anna Cunha. O valor mínimo é de R$ 10 para o postal e R$ 2.500,00 para o pacote com 15 livros e uma oficina para até 15 crianças, que envolve literatura e artes plásticas, tendo como tema o próprio livro. A meta é alcançar R$ 40.330 até o início de maio. O lançamento do livro está previsto para setembro de 2019.

Sobre os autores

Bruno Moreno é jornalista formado em 2002 pela PUC Minas, trabalhou por 14 anos em um jornal de Belo Horizonte (MG). Atualmente, integra o time da Árvore, um laboratório de comunicação corporativa. Participou da cobertura de eventos e megaeventos no Brasil, México, Inglaterra e Alemanha. Como repórter, conquistou os prêmios VII Concurso Tim Lopes de Jornalismo Investigativo; 8º Prêmio Délio Rocha de Jornalismo de Interesse Público; 1º Prêmio de Jornalismo da Adep-MG (3º lugar); Prêmio de Jornalismo da Adep-RS (3º lugar); 6º Prêmio CDL de Jornalismo. Além disso, publicou o livro Os Limites de Belo Horizonte e os Limites da Luz, em 2008.

Anna Cunha é graduada em Artes Plásticas pela UEMG e pós-graduada em Ilustração, pela EINA (Escola de Disseny i Art – Universitat Autònoma de Barcelona). Passou por agências de design, pela oficina tipográfica do Gutenberg Museum, na Alemanha, e pela editora alemã Hermann Schmidt Verlag, especializada em publicações de design. Já ilustrou mais de 20 livros, para editoras brasileiras e estrangeiras, dentre os quais teve títulos selecionados para o Catálogo de Bolonha e títulos premiados pela FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil). Foi finalista do Prêmio Jabuti, categoria Ilustração, e recebeu menção honrosa no Prêmio João-de-Barro, categoria Livro Ilustrado.

Contatos:

Bruno Moreno – telefones: (31) 99816-5011 e 98239-7211; Instagram: @o_livro_de_akva; Youtube: O Livro de Akva; Facebook: http://fb.me/OlivroDeAkva2019; Catarse: catarse.me/livro_de_akva; #agua, #olivrodeakva, #literatura #literaturainfantil #ods #ods13

 

#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

[22/3/19]

Veja também

Câmara de Aracaju aprova exigência de diploma para jornalistas no poder público municipal

A Câmara Municipal de Aracaju (SE) aprovou por unanimidade nesta quarta-feira 21/10, em sessão remota ...

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *