Documentário sobre saúde dos atingidos pela lama de Mariana será exibido nesta terça 5/2

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) lança nesta terça-feira 5/2 o documentário Renova: o crime é periódico, sobre os efeitos da lama tóxica na saúde da população atingida pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, em 2015. Produzido em parceria com o jornal Brasil de Fato e a editora de vídeos Rupestre, o documentário poderá ser visto on line a partir das 19h nas páginas do MAB, do Brasil de Fato MG e da Mídia Ninja no Facebook.

Neste momento em que o crime ambiental de Mariana se repete em Brumadinho, o documentário é um instrumento para impedir a repetição de problemas, como o acesso a informações corretas por parte dos atingidos. Após a exibição, haverá debate com participação de representantes da Fiocruz, da Rede de Médicos Populares, do MAB e do BdF.

O documentário mostra, em depoimentos de atingidos pela lama e especialistas, problemas de saúde decorrentes da contaminação da água do Rio Doce pelos rejeitos de minério. Em Barra Longa (MG), uma das localidades mais atingidas pela lama, metade da população sofre ainda com doenças respiratórias, doenças de pele e insônia. Em Regência (ES), exames feitos pela USP, detectaram níveis alarmantes de níquel, arsênio e zinco nos moradores.

O título do filme é uma referência à atuação da fundação Renova, entidade criada num acordo entre as mineradores Samarco, Vale e BHP Billiton, o governo federal e a justiça para reparar as vítimas do crime de Mariana. Segundo o MAB, essa reparação ainda não aconteceu. Exemplo disso é Bento Rodrigues, uma das localidades destruídas pela lama. Três anos e três meses depois, nenhuma casa foi entregue aos moradores, que continuam sendo abastecidos por caminhões pipas.

“Um dos principais problemas é que os atingidos não têm acesso a informações corretas”, denunciou Francisco Kelvin, militante do MAB. “Sem informações corretas, eles não podem discutir nem negociar com as empresas. Isso aconteceu no caso de Mariana e não pode se repetir em Brumadinho”,disse.

Segundo Kelvin, o MAB está atuando em Brumadinho ajudando as vítimas e estimulando a organização das comunidades. Ele defende a formação de comissões dos atingidos e a preparação de pautas de emergência e de longo prazo.

SERVIÇO:

Documentário ‘Renova: O crime é periódico’

Lançamento: terça-feira 5/2, 19h

Acesso: facebook.com@MAB.Brasil

Contato: Francisco Kelvim (31) 9-8803-6180

[5/2/19]

Veja também

Bloco do Pescoção faz vaquinha para desfile. Participe

O Bloco do Pescoção, que desde 2015 participa do carnaval belo-horizontino, reunindo jornalistas e simpatizantes, ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *