Cine Beto mostra vídeos de jornalistas mineiros neste sábado 1/12

Continua neste sábado 1/12 na Casa do Jornalista (Avenida Álvares Cabral, 400, Centro), das 17h às 19h, a 4ª Mostra Audiovisual dos Jornalistas de Minas. Realizada pelo Cine Beto, a mostra é uma oportunidade de conhecer a produção audiovisual mineira e trocar experiências. Serão exibidos vídeos produzidos por jornalistas e estudantes de jornalismo.

A intenção é contribuir para a divulgação do trabalho dos profissionais e alunos, além de debater novas possibilidades no jornalismo. Neste sábado serão exibidos 10 vídeos de curta duração, com características variadas, como reportagens e campanhas. Em seguida haverá uma roda de conversa.

PUC TV

Um dos vídeos que serão exibidos é #FicaPUCTV, de Thomaz Albano, Raíssa Cardoso e Mateus Soares. Produzido por três estudantes da PUC Minas, o vídeo foi uma mobilização contra a extinção da PUC TV, anunciada pela Reitoria da universidade em março deste ano.

Em apenas um dia os alunos receberam vídeos gravados em celular por diversos profissionais que passaram pela PUC TV e montaram o vídeo final, com duração de 4 minutos e 49 segundos, que teve grande repercussão.

“Foi um processo de produção muito bacana, uma experiência muito interessante”, disse Thomaz Albano, que está concluindo o sétimo período de Jornalismo.

A PUC TV foi extinta, mas em resposta à mobilização, a universidade manteve a produtora de vídeos, na qual os alunos continuam aprendendo.

A Mostra Audiovisual dos Jornalistas de Minas é anual e foi realizada pela primeira vez em 2015. Fundado em 2012, o Cine Beto homenageia o militante mineiro Carlos Alberto Soares de Freitas, desaparecido político durante a ditadura. Ele reúne cineclubistas, convidados e amigos em atividades mensais de reflexão sobre cinema, música, literatura, teatro, artes visuais, além de exibições de realizações independentes.

A programação do Cine Beto pode ser acompanhada na sua página no Facebook: https://www.facebook.com/CineBeto/.

Veja a seguir a programação da 4ª Mostra Audiovisual dos Jornalistas de Minas.

-Marina – O sonho de Niemeyer no sertão mineiro que a ditadura abafou, de Luiz Ribeiro e Renan Damasceno

-Crespas – A geração da mudança

-De 2013 a 2018: Da luta ao luto, de Queila Aridne e Rafaela Mansur

-O homem que tentou explodir o Planalto

-Jornal também é patrimônio

-Sacco e Vanzetti – o julgamento do século

-O Tipógrafo, de Natália Oliveira e Douglas Magno

-Na medida do impossível – Fernanda Takai, quase desatento, de Cristiano Trad e Nathália Marçal

-Uatu – O rio sagrado agora corre calado, de Fred Bottrel, Larissa Kümpel e Lélis

-#FicaPUCTV, de Thomaz Albano, Raíssa Cardoso e Mateus Soares

 

#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

[27/11/18]

Veja também

Fenaj assume coordenação do FNDC para o biênio 2020/2022

O Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), entidade com quase 29 anos de história ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *