Auditores fiscais e sindicalistas protestam em BH contra desmonte do Ministério do Trabalho

Auditores fiscais do trabalho e sindicalistas fizeram uma manifestação nesta sexta-feira 10/8 no centro de Belo Horizonte (foto) em defesa do emprego, da aposentadoria e dos direitos trabalhistas. Eles denunciaram o desmonte da estrutura de proteção social aos trabalhadores como parte da reforma trabalhista implantada pelo governo golpista.

“A casa do trabalhador está sendo sucateada e corre risco de extinção”, disse Julie Santos, delegada de base da Delegacia Sindical de Minas Gerais do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait).

Em nota distribuída à população, sindicatos informaram como o desmonte está ocorrendo e conclamaram os trabalhadores a resistir. “A ausência de concurso público, a falta de investimento nas condições de trabalho do servidor, fechamento de agências por falta de estrutura ou funcionários apontam para um cenário de risco real de extinção do MTE”, afirma a nota assinada pelo Sinisprev, Sindsep MG e Sinait.

“É preciso dizer sempre que o corpo técnico do ministério, os auditores fiscais do trabalho e os servidores administrativos não se confundem com os escândalos de corrupção. É esse corpo técnico que garante serviços básicos ao cidadão”, ressalta a nota.

A nota afirma ainda que o fortalecimento do MTE e dos serviços públicos em geral passa pela revogação da Emenda Constitucional 95/2-16. Essa emenda do governo golpista congelou os investimentos públicos por 20 anos, para destinar dinheiro do orçamento federal para pagamento de juros aos banqueiros, empréstimos subsidiados aos empresários e privilégios a juízes e políticos, cujos salários são aumentados por eles mesmo, como está prestes a acontecer mais uma vez.

“É fundamental apoiar o pessoal do Ministério do Trabalho neste momento”, disse o presidente do Sindicato dos Empregados na Administração de Jornais e Revistas de Minas Gerais, Marco Antônio Jacob, presente à manifestação. “Se não tiverem o apoio dos trabalhadores hoje, amanhã não teremos mais o Ministério do Trabalho nem onde recorrer para nossas reivindicações.”

#Luta Jornalista

#SindicalizaJornalista

[10/8/18]

Veja também

15 projetos de lei endurecem penas de crimes contra jornalistas no Brasil

Por Júlio Lubianco Num momento de piora da liberdade de imprensa no Brasil, pelo menos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *