Entrevista coletiva: em defesa da vida

As execuções da vereadora do Rio e Janeiro Marielle Franco e de Ânderson Pedro Gomes representam mais um golpe na sociedade brasileira, especialmente para as mulheres negras. Uma tentativa covarde e violenta de silenciar as lideranças do país vem dominando a cidade e o campo.

O silêncio desejado não será obtido. A luta em defesa da vida e do estado democrático de direito é a resposta imediata e mais acertada contra a investida, disfarçada de intervenção, que os golpistas implementam contra o povo brasileiro, em especial, a população pobre e negra de todo o país.

Lideranças feministas e movimentos organizados de mulheres negras fazem um ato hoje, 15 de março, às 14 horas, na Casa do Jornalista (Avenida Álvares Cabral, nº 400). Em seguida, às 17h, já está convocada uma manifestação na Praça da Estação. Vamos à luta!

[15/3/18]

Veja também

Aos 84 anos, morre o jornalista Hélio Fraga

O jornalismo perdeu mais um de seus grandes nomes em Minas. Faleceu ontem, de complicações ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *