Vitória da mobilização! Governo anuncia pagamento do reajuste dos trabalhadores da Inconfidência

O governo do estado voltou atrás na decisão de cortar a correção dos salários e do vale-alimentação dos jornalistas e radialistas da Rádio Inconfidência. A decisão é uma vitória da mobilização dos trabalhadores, que decidiram ontem paralisar suas atividades em reação à decisão arbitrária do estado e para pressionar pela solução dos problemas que envolvem também a Rede Minas, cuja carga horária é de 9h para salários aviltantes, abaixo do piso do servidor e dos jornalistas e radialistas de todo o estado. Apesar do recuo, a assembleia marcada para a próxima segunda-feira 9/10, às 13h, está mantida, com indicativo de greve, pois ainda há muitas reivindicações sem resposta.

Entre elas a estão o abono de R$ 2.000 previsto na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) e que não foi pago para a Rádio Inconfidência, a redução da carga horária de 9h dos jornalistas e radialistas da TV Minas e as péssimas condições de trabalho na nova sede das duas emissoras públicas mineiras. Os trabalhadores exigem ainda a criação de uma gratificação por acumularem funções na rádio e na TV, o que poderia ajudar a resolver a questão dos baixos salários. Nas duas emissoras a maioria dos jornalistas ganha cerca de R$ 2.500 e os radialistas em torno de R$ 1.300. Querem ainda participar das discussões que envolvem a Empresa Mineira de Comunicação, criada há um ano pelo governo do estado.

Hoje, o comando das duas empresas reuniu os trabalhadores com promessas de solução para as demandas, que são antigas e nunca tiveram resposta efetiva. Os trabalhadores, no entanto, têm propostas concretas para solucionar todos os problemas e a maior disposição para o diálogo. Basta o governo ter vontade política e respeito à comunicação pública para solucioná-los.

[6/10/17]

Veja também

SJPMG e Fenaj repudiam agressões a repórter da TV Integração em Prata (MG)

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais e a Federação Nacional dos Jornalistas vêm ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *