Jornalista: nesta sexta 31/3 vista preto contra a reforma da previdência

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais convoca a categoria a participar ativamente do dia nacional de mobilização contra a reforma da previdência marcado para esta sexta-feira 31/3. O Sindicato pede que os jornalistas compareçam ao trabalho vestidos de preto, para manifestarem seu repúdio à reforma do governo golpista, que pretende retirar direitos e tornar quase impossível a aposentadoria.

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e sindicatos de jornalistas já se manifestaram publicamente contra a reforma da previdência prevista na Proposta de Emenda Constitucional (PEC 287). As mulheres jornalistas, maioria na categoria, serão muito prejudicadas pela reforma. Ao igualar a idade de homens e mulheres para obter o benefício, o governo golpista ignora condições que diferenciam os sexos.

Desmonte da seguridade

Em nota oficial, a Fenaj denunciou que PEC 287 promove, na verdade, o desmonte da Seguridade Social, especialmente dos regimes de Previdências Públicas (Regime Geral da Previdência Social e Regimes Próprios de Previdência Social), que passarão a não garantir condições de aposentadoria para a maioria da classe trabalhadora. Para ter direito à aposentadoria integral, os trabalhadores e as trabalhadoras terão de contribuir durante 49 anos.

Um estudo da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip) e do Dieese mostrou que o alegado déficit da previdência é uma farsa montada pelo governo para cortar direitos sociais. O governo desvia recursos da Seguridade Social previstos na Constituição de 1988 e dessa forma provoca o déficit. Cancelamento de desonerações fiscais, cobrança de dívidas de grandes empresas e combate ao trabalho informal mudariam radicalmente o quadro da previdência. De fato, a reforma é uma escolha governamental, que mais uma vez onera os trabalhadores e cassa na prática seu direito à aposentadoria, para garantir recursos para outros interesses.

Também a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão do Ministério Público Federal divulgou um documento no qual adverte que a reforma atenta contra o direito fundamental à saúde previsto na Constituição (art. 196), em especial da população idosa.

Manifestação em BH

Em Belo Horizonte, as manifestações estão sendo convocadas pelas centrais sindicais, sindicatos, movimentos sociais, estudantis e populares. Um ato público está marcado para as 17h, no hall das bandeiras da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

O protesto faz parte do calendário de lutas contra as reformas da previdência e trabalhista, que inclui uma greve geral, em abril. O objetivo nesta sexta é repetir o êxito da mobilização do dia 15 de março, que reuniu 150 mil pessoas na capital. Também ocorreram manifestações e paralisações em outras 73 cidades mineiras.

[29/3/17]

Veja também

Feira do Vinil reabre dia 14/11 na Casa do Jornalista

A Feira do Vinil completa 13 anos de casa nova. A partir de novembro, a ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *