Gráficos demitidos do Hoje em Dia voltam a protestar

Os gráficos demitidos do jornal Hoje em Dia voltaram a protestar nesta terça-feira 12/1 pelo descumprimento das rescisões de trabalho, que ainda não foram pagas. Eles se concentraram na porta da empresa e em seguida foram ao templo da Igreja Universal, antiga proprietária do jornal. O advogado da igreja, que os recebeu, disse que serão tomadas medidas para que o compromisso com os trabalhadores seja honrado.

Nesta quarta 13/1 os gráficos farão novos protestos em dois locais: diante da sede da Rádio 98 FM, na Avenida Nossa Senhora do Carmo, e diante da sede da Rede Record, no Bairro Floresta. A Rede Record pertence à Igreja Universal e a Rádio 98 FM ao grupo Bell, novo proprietário do Hoje em Dia.

Ontem, o primeiro protesto dos gráficos surtiu efeito. Depois de entrarem na sede do jornal, eles foram recebidos por um diretor, que prometeu pagar os salários de dezembro. A promessa foi cumprida no final da tarde. O diretor disse, no entanto, que não tem previsão para o pagamento das rescisões.

O Hoje em Dia encerrou as atividades da sua gráfica e demitiu todos os seus funcionários, incluindo cerca de 70 gráficos. A impressão do diário, assim como da Folha Universal, da igreja de mesmo nome, passou a ser feita pela Sempre Editora, que publica o concorrente O Tempo.

Na foto, os gráficos demitidos do Hoje em Dia na entrada do principal templo da Igreja Universal em Belo Horizonte, nesta terça 12/1/16.

Veja também

15 projetos de lei endurecem penas de crimes contra jornalistas no Brasil

Por Júlio Lubianco Num momento de piora da liberdade de imprensa no Brasil, pelo menos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *