Negociações salariais dos jornalistas: o retrocesso gravíssimo no Rio de Janeiro

Os Sindicatos de Jornalistas abaixo assinados acompanham com apreensão os acontecimentos referentes à negociação salarial dos jornalistas do Rio de Janeiro e manifestam sua solidariedade ao Sindicato e aos companheiros daquele estado. Entendemos que a decisão dos profissionais vinculados à Rede Globo de aprovarem a proposta patronal de redução do piso salarial é lesiva aos interesses não apenas dos jornalistas do Rio, mas de todo o País.

Depois de vinte anos de luta, sob a liderança do seu Sindicato, os jornalistas do Rio conseguiram conquistar um piso salarial para a categoria de R$ 2.432, aprovado pela Assembleia Legislativa. No entanto, os jornalistas vinculados à Rede Globo – em nome de um abono oferecido pela empresa, que não se incorpora ao salário – aprovaram, por maioria, a proposta patronal que reduz o piso para R$ 1.446,25 (rádio) e R$ 1.606,95 (TV). A pressão dos patrões foi ostensiva, conforme denunciou o Sindicato do Rio.

É lamentável que num momento em que os jornalistas brasileiros enfrentam uma das maiores ondas de demissões da história e todos os tipos de violência, alguns colegas façam o jogo dos patrões. Não é momento de colocar interesses particulares e imediatos acima dos interesses coletivos e de longo prazo da categoria; não é momento de divisão, mas de união de todos os jornalistas.

Nós, jornalistas, precisamos ter clareza de que na campanha salarial interesses antagônicos se conflagram. Ao dividir a categoria, a Rede Globo tenta fazer prevalecer seus interesses empresariais e o seu lucro, à custa dos salários dos seus empregados. Abrir mão de conquistas históricas e aceitar a redução do próprio salário é não entender que, antes de ser empregados de determinada empresa, somos trabalhadores, somos jornalistas.

Não permitiremos que o que aconteceu no Rio de Janeiro se repita nos nossos estados. Solidários ao Sindicato do Rio, que representa os interesses gerais e permanentes da categoria, e aos profissionais de jornais e revistas, que rejeitaram a proposta patronal, conclamamos todos os jornalistas a se unirem em defesa das nossas reivindicações legítimas, contra o jogo sujo e as chantagens patronais.

 

Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais

Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal

Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná

Veja também

Em defesa da vida, da vacina para todos e da liberdade expressão e de imprensa, Jornalistas de Minas conclamam: Fora Bolsonaro!

No próximo sábado, dia 3 de julho, centenas de organizações, movimentos, entidades e pessoas irão ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *