3ª Flij reúne, neste sábado, mais de 50 obras de jornalistas escritores

Trinta e três jornalistas escritores participam, neste sábado, da 3ª Feira de Literatura dos Jornalistas de Minas Gerais (3ª Flij). O evento acontecerá de 10h às 17h e irá reunir profissionais de imprensa que tenham escrito livro em qualquer gênero de literatura. Durante o evento, os escritores irão autografar cerca de 50 livros – poesia, romance, conto, crônica ou livro reportagem, entre outros gêneros, seja de ficção ou não ficção.

A 3ª Flij é uma iniciativa da Casa de Jornalista com o apoio do Sindicato dos Jornalistas de Minas e da Casa Matriz e será realizada na Casa de Jornalista, na avenida Álvares Cabral, 400, Centro, em Belo Horizonte. Para o presidente da instituição, Carlos Barroso, a Flij simboliza uma tradição dos jornalistas mineiros, que sempre se destacaram como  escritores, como é o caso de Carlos Drummond de Andrade (1902/1987), Wander Piroli (1931/2006) e Roberto Drummond (1933/2002). “E essa tradição continua até hoje, com força expressiva na literatura brasileira”, afirma Carlos Barroso.

A presidenta do Sindicato dos Jornalistas, Alessandra Mello, diz que o número de mulheres inscritas na 3ª Flij surpreende. “A qualidade literária feminina é uma constante na imprensa de Minas. Podemos lembrar de Alaíde Lisboa (1904/2006), que se tornaria a primeira vereadora de Belo Horizonte, e que, além de jornalista, era uma grande escritora”, afirma Alessandra Mello.

 

Jornalista escritores participantes da 3ª Flij

 

Alciene Ribeiro Leite

Mineira de Ituiutaba, estreou em 1976 nas páginas do Suplemento Literário de Minas Gerais. Recebeu o prêmio Galeão Coutinho, da União Brasileira de Escritores (SP), pelo primeiro livro de contos e o Prêmio Nacional Coleção do Pinto. Ficou em segundo lugar no Prêmio Nacional de Literatura Cidade de Belo Horizonte, entre outras premiações.

Livros na Flij: Tomara que fosse ontem (Editora Penalux, 2022), Mulher explícita (Editora Pangeia, 2019) e Minimus (Editora Pangeia, 2022).

 

Antônio Galvão

Antônio Galvão é o nome artístico do poeta Antônio Galvão. Mineiro de Belo Horizonte, é   economista, jornalista, professor, assessor parlamentar, produtor de cultura do Sarau Poético Musical e criador do canal TV Poeta & Poesia. É também o idealizador do Muro dos Poetas & Poesias

Livros na Flij: Os filhos da imaginação poetica: Matheus & Sophia; Poeta em tempos de pandemia, Poesia da alma & verso, Poesia & afeto e Poesia & amor.

 

Austen Amaro (in memoriam, por Ivan Drummond)

Represento meu avô, Austen Amaro, primeiro poeta modernista de Minas, com o livro Juiz de Fora, Poemas Líricos. Foi lançado em 1926, num sarau no famoso Bar do Ponto, na Rua da Bahia. Era jornalista, crítico literário do jornal Estado de Minas e um dos fundadores de Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais. Escreveu ainda Poemetos à feição do Oriente, Ante o mistério da vida e da morte, Imaginária Helade e Poemas em vitrais.

Livro na Flij: Juiz de Fora, poemas líricos.

 

Brenda Marques Pena

Natural de Belo Horizonte, é escritora, jornalista, produtora cultural, musicista e performer. É editora de texto, repórter e produtora da Rede Minas de Televisão. Publicou os livros Poemaracar (2022), Tsunâmica (2019), Desnaturalizados (2016) e Poesia Sonora: História e Desdobramentos de uma Vanguarda Poética (2009), além de editar a série de antologias Nós da Poesia, que está no oitavo volume. Tem dedicado parte de sua obra à produção de poemas sonoros, que se desdobram em performances e videopoemas. É mestre em Estudos Literários pela UFMG e pesquisadora Cátedra Unesco/Memorial da América Latina. Doutoranda em Estudos de Linguagens pelo Cefet/MG, é diretora e fundadora do Instituto Imersão Latina (Imel) e da Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil (Ajeb), coordenadoria de Minas Gerais.

Livros na Flij: Nós da Poesia vol. 8 (Editora All Print, 2022), Poemaracar (Starling Editorial, 2022), Desnaturalizados (Saramandaia, 2016) e Poesia Sonora: histórias e desdobramentos de uma vanguarda poética ( 2009).

 

Caio Campos Ribeiro

 Estudou jornalismo no UNI-BH, foi estagiário do jornal on-line da faculdade, o Union. Trabalhou como assessor de imprensa na Partnersnet. Foi colunista da revista Ragga on-line e da revista Novitas, entre outros periódicos, sites e blogs. Nascido em Santos e radicado em Belo Horizonte, publicou em 2022 seu primeiro livro, A morte do verso, que ele define como um livro de poesia que também contém prosas, alguns aforismos e diálogos. O livro apresenta versos metalinguísticos incisivos e ácidos, com alguns toques de ironia e autossabotagem.

Livro na Flij: A Morte do Verso (Páginas Editora 2022).

 

Carla Madeira 

É jornalista e publicitária, nascida em BH em 1964. É formada em Publicidade e Jornalismo pela UFMG e sócia e diretora de criação da agência de publicidade Lápis Raro. É autora dos livros Tudo é Rio, A Natureza da Mordida e Véspera. Em 2021, foi a autora que mais vendeu livros no Brasil.

Livros na Flij: Véspera (Record, 2021) e Tudo é Rio (Record, 2021).

 

Carlos Lindenberg

Nascido em Espinosa (MG), trabalhou no Estado de Minas, na Revista Veja, na Rede Globo e no jornal O Globo. Foi secretário de Comunicação do Governo de Minas Gerais e diretor do jornal Hoje em Dia. É autor das obras Quase História, perfil a quatro mãos do governador Hélio Garcia, e, também a quatro mãos, de Eu Era Feliz e Sabia.

Livro na Flij: Quase história (Armazém de Ideias, 2007)

 

Fabrício Marques

Jornalista, foi editor do Suplemento Literário de Minas Gerais. Autor, entre outros, de Wander Piroli: uma manada de búfalos dentro do peito (Conceito, 2018).

Livro na Flij: Wander Piroli: uma manada de búfalos dentro do peito (Conceito, 2018).

 

Fernando Magaldi

Formado em Jornalismo pela PUC Minas, começou a carreira em 1978. Por 40 anos, atuou em rádio, televisão e jornais impressos, além de assessorias de Comunicação. É autor dos livros Novecentas Primaveras (2007), de poemas; e do romance A Boticária (2022). Tem também participação em diversas coletâneas de poemas e contos.

Livro na Flij: A Boticária (Editora Viseu, 2022).

 

Fernando Rabelo

É fotojornalista desde a década de 1980. Trabalhou para os principais jornais brasileiros. Foi editor de fotografia do Jornal do Brasil. Atualmente é editor do blog Images&Visions.

Livro na Flij: Livro Cores e Luzes de Belo Horizonte (Editora Graphar, 2014).

 

Grazielle Mendes Soares

É jornalista e mestre em Ciências Sociais pela PUC Minas e autora do livro Notícias da velha nascida. É natural de Belo Horizonte e servidora pública da Rádio Assembleia, da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, onde produz o podcast político Politiza.

Livro na Flij: Notícias da velha nascida (Edição da autora, 2022).

 

Hila Rodrigues

É jornalista e professora do curso de jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop). Foi repórter do jornal Diário do Comércio e das rádios Alvorada FM e BandNews, período em que foi agraciada com prêmios como o Esso Regional e o Líbero Badaró. Também foi repórter especial do jornal Estado de Minas. É autora do livro Desassossego ilustrado.

Livro na Flij: Desassossego ilustrado (Páginas Editora, 2021).

 

Itamar de Oliveira

É autor de mais de uma dezena de livros sobre a memória política e cultural de Minas Gerais. Entre os livros estão as biografias de Manoel Conegundes, João Bosco Murta Lages, Ronan Tito e Natal José Fernandes. Foi presidente da Comissão de Liberdade de Imprensa do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais, coordenador e chefe do Departamento de Comunicação Social da Fafich/UFMG e fundador da Faculdade de Comunicação da PUC Minas, ao lado dos jornalistas Lélio Fabiano dos Santos, Emerson de Almeida, Antônio Fausto Neto e Marco Antônio Rodrigues Dias.

Livro na Flij: Hélio Garcia: a arte mineira de fazer política (Libertas Editora, 2022).

 

Jalmelice Luz

Atuou como repórter e redatora, em jornais impressos mineiros e nacionais e emissoras de rádio. Foi também e assessora de imprensa em entidades feministas, sindicais e classistas. Hoje, dedica-se à escrita literária, com livros editados, além de textos em coletâneas produzidas em Minas Gerais e São Paulo.

Livros na Flij: Noites pretas (Páginas Editora, 2017), Sombras das ruas (Páginas Editora, 2019), Ruídos (Autografia Editora, 2021) e Juvenil Isadora e o planeta no nariz (Páginas Editora).

 

J.C. Junot

Junot é jornalista e publicitário, além de músico e compositor. Em Vermelho Escarlate resgata um gênero esquecido nos anos 60, o New Journalism. Estilo que consagrou gigantes como Tom Wolf e Truman Capote, caracteriza-se pela mistura da narrativa jornalística com a literária. “Embora possa ser lido como ficção, não é ficção. É, ou deveria ser, tão verídico, como a mais exata das reportagens”, alertou Gay Talese, na época.

Livro na Flij: Vermelho Escarlate (Páginas Editora. 2020).

 

J.D Vital

Natural de Barão de Cocais, J.D. Vital é jornalista e autor de livros-reportagem. Chefiou a assessoria de Imprensa e Relações Públicas dos governadores Tancredo Neves e Hélio Garcia. Foi gerente de Comunicação e chefe do escritório em BH da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM). É membro da Academia Mineira de Letras e da Academia Marianense de Letras.

Livro na Flij: Entre o sacro e o profano (Editora Liberdade, 2022).

 

José Carlos Aragão

É escritor e dramaturgo, com formação em Artes Visuais (UFMG). Trabalhou como cartunista, ilustrador e chargista em vários jornais (Diário do Rio Doce, Jornal de Minas, Diário de Minas, Hoje em Dia, Cidade de Betim e outros). Colaborou como cartunista nos jornais O Pasquim e Pasquim 21; e nas revistas Mad e Spektro. Participou de vários salões e bienais de humor (Piracicaba, Volta Redonda, Vitória, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Teresina, Itabira e outros). Tem cerca de 40 livros publicados, nas áreas de literatura infantil e juvenil, ficção, poesia, teatro, biografia, humor.

Livros na Flij: Enquanto o soco vem vindo (Páginas Editora, 2022), Rio Doce Rio: elegia a um rio morto (Comunicação de Fato Editora, 2021) e O poçopeça em dois atos (FCP, 2021).

 

Juliano Azevedo

É jornalista, escritor, professor universitário e terapeuta especialista em Psicologia Transpessoal. É mestre em Estudos Culturais Contemporâneos (Universidade Fumec) e MBA em Gestão de Marketing e Comunicação. É autor dos livros O Menino de óculos e o mistério dos 6×9; Helena – Vivi o diabo a quatro; Uniformes e Pé de abacate. É como coautor em O Sabor das Letras, Boas Histórias, Sombras e Facilitador de reiki e Thetahealing®, Numerologia e Terapeuta Floral.

Livros na Flij: Uniformes (Editora Althea, 2017) e Pé de abacate (Editora Althea, 2017).

 

Juliene Silvério de Mattos Freitas

Jornalista, 38 anos, casada e mãe de três filhos, cresceu cercada por livros e sempre amou ler. Ainda muito nova, deixava a imaginação fluir e transformava as palavras em redações, histórias e peças teatrais para a escola. Com o passar dos anos, sua paixão pela literatura aumentou e agora pretende mostrar para jovens e crianças que ler pode ser muito divertido.

Livro na Flij: Contos embaralhados (Páginas Editora, 2020).

 

Kiko Ferreira

Tem 47 anos de jornalismo, com ênfase na área cultural. Escreveu para os jornais Hoje em Dia e Estado de Minas; e para as revistas Palavra e Istoé Minas, entre outros veículos. Trabalhou em rádios, como a Inconfidência, Geraes FM e 107 FM; e nas TVs Minas e Horizonte. Foi diretor da rádio e da TV UFMG e colunista de cultura das TVs Globo e Band. É poeta e letrista.

Livros na Flij: Tempo Diverso (Scriptum, 2022) e Manual de Berros (Impressões de Minas, 2022).

 

Laudeir Borges Rego

É jornalista, formado pela PUC Minas, com atuação na Rede Globo e TV Alterosa, entre outras emissoras. Atualmente, é analista de comunicação do Senado Federal. Poeta, cronista e letrista, foi o idealizador do projeto O Grito Cartões Poéticos”. Em 2021, estreou em livro com Insonhos. Em coautoria, publicou 3 em Contos, de minicontos e poemas de Natal. Prepara Flor de capim, mais um livro de poesias. É cofundador da Casa da Floresta.

Livros na Flij: Insonhos (Edição do autor, 2021); 3 em Contos (Edição do autor, 2021).

 

Leida Reis

Leida Reis é jornalista formada pela UFMG e atuou por 26 anos na profissão. Há seis anos fundou a Páginas Editora. É autora de oito livros, entre eles três para crianças, dois de contos e dois romances, além de um de poesia, todos publicados pela sua própria editora, a Páginas. Também participou de diversas antologias.

Livros na Flij: A invenção do crime (2010), Quando os bandidos ouvem Villa-Lobos (2012), Os super-heróis da bola (2019), Minha casa é o mundo (2020) e A casa dos poetas minerais (2021)

 

Genin Guerra

Foi fundador, ilustrador e chargista do jornal O Cometa Itabirano (1979-2014). Cursou a Escola de Belas Artes da UFMG (1980-1986), paralelamente ao curso de Engenharia Civil da PUC Minas. Foi diagramador, ilustrador, chargista e editor de arte dos jornais Diário do Comércio e Jornal de Casa, em BH (1992 e 2000). Publicou na revista de humor Bundas (RJ); e nos jornais Gazeta Mercantil (MG), Estado de Minas, Hoje em Dia (MG) e O Pasquim 21 (RJ).

Livros na Flij: Solo, álbum das glórias musicais (Editora Lápis Mágico, 2020) e Contos Embaralhados (Páginas Editora, 2020).

 

Luiz Henrique Freitas

É jornalista e especialista em Gestão Empresarial pela PUC Minas. Começou a trabalhar em tv aos 18 anos, na engenharia da TV Globo Minas. Foi repórter, editor-chefe e chefe de redação na Rede Minas; editor, chefe de reportagem e editor-chefe na Rede TV! e na extinta TV Manchete; editor-chefe na TV Alterosa/SBT e coordenador-executivo na TV UFMG. De volta à TV Globo, assumiu o cargo de editor-executivo. Nos sete anos recentes foi gerente de redação na Rede Minas e apresentador do programa Rede Mídia. Na Rádio Inconfidência, foi comentarista do programa Ponto de Vista. Foi professor dos cursos de Jornalismo na PUC Minas e da Funcec, em João Monlevade. É autor dos livros  Meus pais e eu e O Futebol Mineiro.

Livros na Flij: Meus pais e eu (Editora Saramandaia, 2020) e O Futebol Mineiro 2019/2020 (Editora Autografia, 2021).

 

Manoela Pastor

Foi repórter das TVs Minas, Globo e Bandeirantes. Foi repórter, redatora e  editora dos jornais Diário do Comércio, Diário da Tarde, Estado de Minas, O Tempo e Pampulha. Foi assessora de Comunicação do vice-prefeito de Belo Horizonte Célio de Castro, da Secretaria Municipal de Ação Social e da Belotur. Foi idealizadora do caderno especial sobre as ONGs Eu Acredito, que circulou  encartado no jornal Hoje em Dia. É diretora da Map Comunicação, com clientes entre empresas, governos e ONGs.

Livros na Flij: Mergulho (Edição da autora, 2018) e Da solidão do cotidiano (Edição da autora, 2022).

 

Manoel Botelho

É jornalista profissional formado pela UFMG. Sempre foi um profissional de assessoria de imprensa. Trabalhou na Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) e nas assessorias de Comunicação dos governadores Tancredo Neves, Hélio Garcia, Newton Cardoso, Eduardo Azeredo, Itamar Franco e Aécio Neves.

Livro na Flij: Escritos de Vida e de Esperança (Comunicação de Fato Editora, 2022.

 

Marcelo Freitas

Jornalista formado pela UFMG, foi repórter dos jornais Diário do Comércio, Hoje em Dia, O Tempo e Estado de Minas. Foi professor do curso de Jornalismo da Faculdade Estácio de Sá de Belo Horizonte e assessor de Comunicação da UFMG e da Câmara Municipal de BH. Foi também editor do portal de notícias BHAZ. É diretor da Comunicação de Fato Editora e autor dos livros Não foi por acaso, A construção do tombamento e Nós também estivemos na linha de frente, sobre a cobertura da pandemia pela imprensa.

Livros na Flij: Não foi por acaso (Comunicação de Fato Editora, 2008), A construção do tombamento (Comunicação de Fato Editora, 2012); e Nós também estivemos na linha de frente (Comunicação de Fato Editora, 2022).

 

Márcia Francisco

Márcia Francisco é natural de Belo Horizonte e tem 30 anos de jornalismo. Atua em assessoria de comunicação, imprensa e mídias digitais, consultoria e palestras em comunicação. É diretora da Márcia Francisco Comunicação Criativa.

Livros na Flij: Pétalas de Girassol (2022).

 

Márcio Metzker

É jornalista profissional formado pela UFMG em 1978. Repórter, editor e editorialista em jornais e emissoras de TV em Minas Gerais, teve passagens pela Rede Globo e pelo jornal O Globo. Foi pioneiro na Rede Minas de Televisão, fundador e primeiro diretor da TV Assembleia e secretário de comunicação no governo Itamar Franco. Dedicou-se nos últimos 25 anos a escrever reportagens para vários veículos, e livros para o Sebrae Nacional. Tem coletâneas inéditas de poesia, humor e contos infantis. Utopia tropical é o primeiro de seus romances que decide publicar.

Livro na Flij: Utopia Tropical (2020)

 

Ricardo Bandeira

É formado pela UFMG, com atuação em diversos veículos de comunicação. Desde a infância, é apaixonado por música e livros. No seu primeiro livro, Baby… Rock! Histórias do Rock’n’Roll no Brasil de 1955 a 1965, publicado em 2022, ele reúne essas paixões na forma de uma extensa reportagem sobre a geração que lançou as bases do rock brasileiro, antes mesmo do surgimento da Jovem Guarda.

Livro na Flij: Baby… Rock! Histórias do Rock’n’Roll no Brasil de 1955 a 1965 (Editora Bushido,  2022).

 

Sidneia Simões

Sidneia Simões é jornalista, atriz e escritora. Lançou Desarmadilha em 2019. O livro contém cartões postais e é inspirado no projeto O Grito, de postais poéticos. É coautora de 3 em contos, junto com Hila Rodrigues e Laudeir Borges. Este ano, lançou Flor de silêncios, segundo livro de poesias. Atuou como professora da prefeitura de Belo Horizonte e como servidora do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, onde foi assessora de Imprensa. Cursou Comunicação Social/Jornalismo na PUC Minas. É pós-graduada em Comunicação e Gestão Empresarial e em Língua Portuguesa. Tem formação em teatro pelo Centro de Formação Artística (Cefar), da Fundação Clóvis Salgado.

Livros na Flij: Desarmadilha (Edição da autora, 2019),  3 em contos (Edição da autora, 2021) e Flor de silêncios (Edição da autora, 2022).

 

Sulamita Esteliam

Jornalista pela Fafich/UFMG, na turma de 1979, é mineira de Belo Horizonte, mas radicada em Pernambuco. Passou por várias redações de jornais, revistas e TVs em Minas, Brasília e Fortaleza, quase sempre nas áreas de economia e política. No Recife, assessorou os movimentos sindical e popular e fez breve incursão no poder público. É autora dos romances Estação Ferrugem (Vozes, 1998) e Em Nome da Filha (Viseu, 2018).

 Livro na Flij: Em Nome da Filha (Viseu, 2018).

 

Vilma Fazito

Formada nos anos 1970 pela então Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Belo Horizonte, iniciou sua vida profissional como repórter do jornal Movimento, um dos mais destacados jornais da imprensa alternativa brasileira na época da ditadura militar. Foi repórter da Rede Globo Minas, subeditora de Agropecuária do jornal Estado de Minas, chefe da produção do programa Voz do Brasil, em Brasília, produzido pela Empresa Brasileira de Notícias (EBN). Participou, ainda, de assessorias de imprensa e exerceu atividades sindicais e políticas. Entre as publicações destacam-se a biografia de Maione Rodrigues da Silva, Meu filho é esquizofrênico; História da Pediatria em Minas Gerais; Eu, Joaninha e a Síndrome Cornélia de Lange; e Patronos da Academia Mineira de Pediatria.

Livro na Flij: Eu, Joaninha, e a Síndrome Cornélia de Lange (Edição da autora, 2021).

Veja também

Filhos registram em livro a “Missão 82” do jornalista Rogério Perez

Em 2022 completam quarenta anos da Copa do Mundo de Futebol de 1982, realizada na ...

Um comentário

  1. Nascida com 24 dedos, era ótima jogadora de truco, damas e exímia contadora de estrelas. Larguei tudo isso e descobri-me jornalista. Doutoranda em Letras pelo Cefet, sou errante. Amo saraus em praças floridas, regados a vinho, cachaça e água gasosa com gelo e limão. Não alérgica às flores, ou cheiro de suor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *