Jornalistas e publicitários lamentam morte de Evilázio Gonzaga

O mundo da comunicação democrática e popular perdeu, no último final de semana, um de seus expoentes no Estado, o jornalista e publicitário Evilázio Gonzaga, que faleceu de fibrose pulmonar, depois de duas semanas internado na UTI do hospital Vila da Serra. Evilázio trabalhou na comunicação de sindicatos e prefeituras do PT, como as de Ipatinga, Poços de Caldas e Alfenas. Na gestão de Fernando Pimentel no Governo do Estado, trabalhou na assessoria de Comunicação da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Foi também diretor de duas empresas de comunicação, Rede e Asa Comunicação. Evilázio era casado com a psicóloga Ludmila Feres e deixa um filho, Antônio, de 22 anos.

Evilázio Gonzaga conhecia muito as ferramentas do marketing eleitoral, que, nas últimas eleições municipais, colocou à disposição de campanhas vitoriosas, como as de Margarida Salomão, em Juiz de Fora; e Marília Campos, em Contagem. “Evilázio sempre gostou muito de marketing político e do estudo de cenários políticos a partir da interpretação de pesquisas eleitorais”, afirma o jornalista Américo Antunes, para quem o falecimento de Evilázio representou uma perda muito grande para os profissionais que trabalham com a comunicação de cunho democrático e popular.

Américo, que era amigo de Evilázio, afirma que o publicitário estava animado com a evolução do cenário político brasileiro e que estava planejando atuar na definição de estratégias que garantissem a vitória dos candidatos de esquerda nas eleições deste ano. “Era uma pessoa que tinha muito a contribuir para esse cenário de retomada do processo democrático brasileiro”, afirmou Américo Antunes.

Evilázio era jornalista e publicitário. Quando estudante, nos anos de 1970, teve uma participação ativa no movimento que resultou na reconstrução da União Nacional dos Estudantes (UNE). Admirador das artes, particularmente do cinema, integrou o movimento cineclubista, que era muito ativo nas universidades. No final dos anos de 1970, participou da fundação do PT, há 42 anos, em fevereiro de 1980. Em nota, o diretório municipal do PT lamentou, “com profundo pesar”, o seu falecimento.

Evilázio, o segundo da esquerda para a direita, e a diretoria da Federação Mineira de Cineclubes, nos anos de 1980 Foto: Acervo de Marcelo Pinheiro
Além da política, Evilázio tinha outra paixão: o Galo Foto: Reprodução Facebook

Amigos e colegas lamentam falecimento

A morte de Evilázio Gonzaga foi muito lamentada também as redes sociais por jornalistas e publicitários. Veja alguns depoimentos:

Orion Teixeira

Vida que segue, apesar das perdas continuadas. Agora, foi o Evilazio que nos deixou. Que siga em paz em sua trajetória de luz.

Pedro Fonseca

Trabalhei inúmeras vezes com ele. Tristeza sem fim.

Jorge Pôssa

Muito triste. Enorme perda para os amigos e companheiros de luta. Sabia analisar os fatos políticos com rara lucidez.

Helinho Faria

Tristeza atrás de tristeza.

Marcelo Passos

Enorme perda. Amigo de lutas, farras e aventuras. Gente nossa. Companheiro de vitórias e do trabalho. Que pena essa partida tão cedo.

César Piva

Tristeza, nosso amigo partiu cedo demais. Não é esse o combinado e vai fazer muito falta. Com Evilazio Gonzaga tivemos o privilégio de vivenciar boas e grandes aventuras na vida.

Ana Elizabeth Diniz

Que triste! Ele era uma alma inquieta e nobre que se expressava por meio da calma e da ponderação.

Carlos Lindenberg

Era “ uma alma inquieta e nobre…”.

Sergio Aspahan

Muito triste e inesperado.

Marcelo Pinheiro

Descanse em paz, companheiro. Ficamos mais pobres sem sua presença.

Alan Rodrigues

Estou muito triste com essa notícia. Evilazio Gonzaga era uma pessoa muito especial. Inteligente e sofisticado, até nas análises políticas.

Cândida Canedo

Muitas saudades, Evilázio, e muito amor. Nossa história e nossos desejos e ideais juntos. Evilázio presente, sempre.

Ananias Zeca de Freitas

Tristeza profunda! Parte, muito cedo, mais um da nossa geração de lutadores pela democracia política e social, que sempre manteve a esperança e a batalha por um país digno e justo. Sigamos, por mais duro que seja! RIP companheiro.

Veja também

Filhos registram em livro a “Missão 82” do jornalista Rogério Perez

Em 2022 completam quarenta anos da Copa do Mundo de Futebol de 1982, realizada na ...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *