Bazar na Casa do Jornalista arrecada fundos para a construção de uma horta comunitária no bairro Alto Vera Cruz

Nesse domingo, na Casa do Jornalista, o Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro promove um bazar solidário para arrecadar fundos para a construção de uma horta comunitária na Escola Tomas Educação, localizada no Alto Vera Cruz, região Leste de Belo Horizonte. O evento começa 10h.

A escola é gerida por mulheres da família Tomas, que tem suas raízes fincadas no bairro. A entidade, mantida por meio de parcerias e trabalhos voluntários, assiste cerca de 75 crianças e adolescentes com aulas de reforço, cursos , recreação, almoço e lanche. Tudo na base da luta e do voluntariado.

“É um espaço para que as crianças e adolescentes fiquem enquanto as mães trabalham”, conta Priscila Tomas, pedagoga, 30 anos. Segundo ela, ao formar em 2014 bateu aquele desejo de devolver para a sociedade o que aprendeu em uma universidade.

“Nada melhor que uma escola, um local para acolher as crianças enquanto as mães estão fora, uma das principais demandas das mulheres trabalhadoras”, conta Priscila que recebeu a reportagem do SJPMG em um dia de muita alegria. Nessa data, a escola tinha recebido uma doação de mochilas e material escolar que serão entregues como presente de Natal , juntamente com caixas de bombom , também arrecadadas por meio de contribuições voluntárias. A meta agora, conta Priscila, é conseguir frangos inteiros para que as famílias possam assar na ceia natalina.

O Alto Vera Cruz é uma das regiões mais antigas de Belo Horizonte e se formou a partir da ocupação de trabalhadores da construção civil, com pouca infraestrutura e saneamento, condições que ainda persistem no bairro, também conhecido pela organização de seus moradores e ativismo cultural.

“A gente não quer só comida”, é o lema da Tomas estampado em letras garrafais na entrada da entidade. “Queremos educação, cultura, lazer e uma vida digna para a periferia”, afirma Priscila que conta com a ajuda preciosa de sua mãe, dona Neide, 57 anos, para tocar o projeto. A mãe não esconde o orgulho da filha militante, solidária e sonhadora e embarca junto na peleja por uma vida digna para os moradores da periferia. “Ela inventa sempre uma moda e a gente vai junto”, afirma.

A mulherada da família Tomas que comanda a escola no Alto Vera Cruz

A horta é a mais recente. Espaço não falta, a creche precisa de insumos para arrumar os canteiros, comprar as mudas e tela o que for preciso.

A Tomas Educação está localizada na rua Itamar e conta com cozinha, sala de aula, espaço com computadores para que as crianças e adolescentes possam estudar, pesquisar e fazer seus trabalhos e também uma biblioteca.

A entrada no bazar é gratuita, mas quem puder pode levar um quilo de alimento (coisas para o lanche da meninada são muito bem-vindas) ou doar R$ 5. A entidade também aceita livros de literatura, brinquedos e material escolar em bom estado.

Além de brechó, o bazar vai ter comidas, bebidas e uma apresentação super especial da cantora Júlia Rocha. Bora lá fortalecer a luta da mulherada em prol da educação.

Colabore. Participe.

Veja também

Sindicato deseja à categoria um 2022 de muita luta. Recesso vai até 10/1

Jornalistas de Minas, Desejamos a toda a categoria um 2022 de muita luta coletiva, em ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *