Sindicatos questionam demissões em massa no SBT, em Brasília

O Sindicato dos Radialistas do DF e o Sindicato dos Jornalistas do DF repudiam as demissões em massa de trabalhadores no SBT. Na quinta-feira 5/11, foram anunciadas cerca de 15 demissões na emissora, o que vem provocando grande insegurança entre os trabalhadores.

As entidades prestam solidariedade e colocam seus departamentos jurídicos à disposição dos trabalhadores demitidos. Infelizmente, pela reforma trabalhista aprovada no governo Temer, com apoio dos setores mais retrógrados do país, foi retirada a proibição de demissões em massa sem negociação com os sindicatos.

Nos últimos dias, circula também a informação de que o SBT estaria arrendando sua programação para a CNN Brasil. A medida é proibida pela legislação, apesar de prática recorrente no país. O SBT, como uma concessão pública, tem o dever legal de manter programas noticiosos para informar a população. Infelizmente, o grupo Silvio Santos ignora todas as barreiras legais.

Vale ressaltar ainda que o SBT em Brasília, durante a pandemia, teve um grande número de trabalhadores infectados pelo novo coronavírus, principalmente porque a empresa não tomou as medidas necessárias de proteção aos funcionários, o que trouxe vários transtornos.

Os sindicatos irão acionar o SBT e pedir reunião para questionar as demissões, neste momento em que enfrentamos uma crise sanitária, econômica e social, em que a comunicação social se faz ainda mais essencial.

 

(Publicado pelo Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal.)

[9/11/20]

 

Veja também

ALMG tem surto de covid depois de convocar todos os terceirizados, muitos sem direito a plano de saúde

Já são seis trabalhadores da área de comunicação da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (quatro ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *