Estado de Minas atrasa salários. Mais uma vez

O jornal Estado de Minas ainda não pagou o salário de setembro a um grupo de jornalistas. Também não deu satisfação e nem previsão de data para o pagamento. A situação é revoltante, mas não é novidade: o jornal vem procedendo assim há muito tempo, todo mês paga com atraso. Rigorosamente, ninguém recebe em dia (até o quinto dia útil do mês, conforme manda a lei), mas para alguns o pagamento atrasa mais.

Em junho deste ano, o atraso de salário de parcela da redação e da administração obrigou os trabalhadores a fazer paralisações de protesto em plena pandemia; o atraso também aconteceu na TV Alterosa, empresa do mesmo grupo Diários Associados Minas. O problema é tão recorrente que levou a várias paralisações em 2010. A empresa só paga depois que os trabalhadores protestam e se mobilizam.

Além disso, o atraso é de salários que já foram reduzidos. Na pandemia, o grupo Associados Minas usou a MP 936 para reduzir o salário de alguns trabalhadores. Em abril de 2016, os salários dos jornalistas e dos trabalhadores da administração foram reduzidos em 30%, unilateralmente, numa decisão já considerada ilegal pela Justiça do Trabalho.

A empresa também não paga férias, mas lança os valores nos contracheques, que inclusive incidem no cálculo do imposto de renda. E não faz os depósitos do FGTS.

E não paga em dia o plano de saúde, deixando os trabalhadores frequentemente sem acesso a consultas médicas.

Até mesmo os salários dos estagiários de jornalismo são pagos com atraso.

 

[16/10/20]

 

Veja também

ALMG tem surto de covid depois de convocar todos os terceirizados, muitos sem direito a plano de saúde

Já são seis trabalhadores da área de comunicação da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (quatro ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *