Repórter faz representação contra assessor da Prefeitura de Monlevade por ameaça e injúria

A jornalista Cíntia Araújo, do portal DeFato, fez uma representação na Delegacia de Mulheres de João Monlevade contra o assessor de Comunicação da Prefeitura do município, jornalista Thiago Bretas Moreira Gonçalves, por ameaça e injúria. Em mensagens gravadas no WhatsApp, na quarta-feira 19/8, o assessor disse que o comportamento da repórter era de “jornalista sacana” e ameaçou falar com “seu superior”, depois que Cíntia solicitou à Assessoria de Comunicação informações para uma matéria.

Thiago Moreira nega a ameaça, afirma que não sua resposta foi por discordar da conduta da jornalista, não por ela ser mulher, e que agiu em defesa da sua equipe, porque o pedido de informações foi feito no horário de almoço.

“Vou melhorar o tom procê: faz de novo, procê ver se eu não vou falar com seu superior”, disse Thiago Moreira, no áudio. “Faz de novo, vai lá e faz. Você desrespeitou a Comunicação, você desrespeitou a funcionária da Comunicação que te atende muito bem. Todos nós aqui atendemos você bem. Mandar no horário de almoço, com prazo no horário de almoço pra responder? Isso é coisa de jornalista sacana, isso não é coisa de gente séria, não.”

Ele não explica qual foi o desrespeito cometido pela repórter. Na primeira mensagem de áudio, Moreira dá a entender que o prazo de duas horas e meia, que Cíntia pediu para obter informações para uma reportagem, é muito curto. Afirma também que a Prefeitura de João Monlevade não atende demandas da imprensa em menos de 48 horas.

Aluguel de velório

A demanda que motivou as respostas do assessor foi um pedido de informação se a Prefeitura de João Monlevade prorrogaria o aluguel que vence em setembro de um imóvel que está sendo usado para velório provisório, durante a pandemia do novo coronavírus.

O e-mail foi enviado à Assessoria de Comunicação às 11h30. Às 11h37, Cíntia recebeu a seguinte resposta, sem identificação de autor: “Cíntia, esse deadline é muito curto, considerando que o horário de almoço é de 11h às 13h. Se possível, vamos atender”.

Às 12h35, Thiago Moreira enviou para o celular da repórter, pelo WhatsApp, a primeira mensagem de áudio, que Cíntia interpretou como uma ameaça:

“Oi, Cíntia, boa tarde. A gente já recebeu com prazo de onze e meia pra 14 horas, dentro de horário inclusive de almoço do pessoal, demanda sua, a gente já recebeu mais de uma vez. Eu quero te avisar: aqui na prefeitura agora é 48 horas de prazo no mínimo. Senão, nem manda. E, se voltar a acontecer, eu vou conversar com seu superior, tá? Isso não é coisa de se fazer não.”

A jornalista respondeu a essa primeira mensagem por escrito:

“Primeiro, olha o tom que você utiliza comigo. Nunca utilizei este tom com você e não admito, repito, NÃO admito de forma alguma que o faça comigo. Jornalismo online demanda mais agilidade. Inclusive não tenho qualquer problema com outros secretários da Prefeitura sobre isso. A sua pasta conduza como você preferir, já que o interesse do retorno da demanda ou não é seu. Mas o meu trabalho não é pautado conforme suas limitações. Sua forma estúpida e autoritária de conduzir a questão é lamentável, já que o email da Prefeitura, que com certeza não foi redigido por você até pela educação dispensada, foi informado que tentariam responder do prazo, sendo prerrogativa minha aguardar a resposta para publicar e caso eu opte por fazê-lo, não me furtaria de fazer outra matéria com posicionamento do Executivo, ainda que mais tarde. Novamente, observe seu tom comigo porque não admito desrespeito de ninguém. Muito menos de você.”

Em resposta, o assessor enviou o segundo áudio, no qual repete a ameaça de falar com o superior da repórter e usa o termo “sacana” para definir seu comportamento.

No mesmo dia 19/8, à tarde, Cíntia Araújo fez representação contra Thiago Moreira na Delegacia de Mulheres de João Monlevade. O assessor foi intimado no dia seguinte e prestou depoimento na sexta-feira 21/8.

Desrespeitada como mulher e jornalista

“Antes de ser jornalista, sou mulher. E me senti desrespeitada como mulher”, escreveu Cíntia Araújo na sua conta no Facebook na qual informa que entrou com representação contra Thiago Moreira. “Duvido muito que o mesmo tom e as mesmas frases seriam ditas se eu fosse um homem. Depois, me senti desrespeitada como Jornalista. Tenho um baita orgulho da minha profissão e já batalhei demais pra ouvir isso de qualquer pessoa.”

Ao SJPMG, ela disse que, se o assessor conseguiu ser desrespeitoso à mulher e à jornalista no seu horário de almoço, conseguiria também responder à sua demanda, que considera simples. Acrescentou que sua pergunta à Assessoria de Comunicação da Prefeitura de João Monlevade continua sem resposta e que outras demandas feitas nos dias seguintes também não foram respondidas.

Pedido de desculpas

Em mensagem de áudio enviado à repórter e encaminhada ao SJPMG, Thiago Moreira pede desculpas a Cíntia, se ela o considerou agressivo, e explica que seu comportamento não foi motivado pelo fato de ela ser mulher. Afirma também que, ao dizer que iria comunicar o superior da repórter, sua intenção era resolver o problema de horário de deadline das matérias e chegar a acordo, não para prejudicá-la.

“Passei um pouco do tom talvez com você e peço desculpa por isso, mas não é porque você é mulher, com qualquer pessoa teria conversado da mesma forma para defender minha equipe”, disse na gravação.

O assessor alega que agiu em defesa da funcionária da Assessoria que recebeu a demanda da repórter e se sentiu pressionada pelo pequeno prazo para responder, que incluía seu horário de almoço. Segundo Thiago, Cíntia já tinha feito isso várias vezes antes. Ele disse que tem um acordo com a imprensa local para prazos bem mais longos aos pedidos de informações.

Thiago encaminhou ao SJPMG e-mail enviado à repórter, datado de de 3 de julho passado, em que a Assessoria comunica que, em função do “grande número de obras” e da pandemia, o prazo para resposta a demandas de jornalistas passa a ser de no mínimo sete dias, temporariamente.

[26/8/20]

 

Veja também

Fenaj assume coordenação do FNDC para o biênio 2020/2022

O Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), entidade com quase 29 anos de história ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *