Sindicato das empresas de rádio e televisão vai elaborar protocolo para prevenção da covid-19

O Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão de Minas Gerais vai elaborar um protocolo para orientar as emissoras da capital e do interior sobre prevenção, controle e mitigação do contágio pela covid-19. A decisão foi comunicada à presidenta do SJPMG, Alessandra Mello, pelo presidente da entidade, Francisco Bessa, atendendo uma solicitação feita pelo SJPMG nesse sentido.

O SJPMG tem registrado aumento de casos nesses meios de comunicação, que, por questões técnicas e operacionais, não têm condições de manter uma parte de seus funcionários trabalhando em casa.

Para colocar todos os dias uma televisão ou uma rádio no ar, muitos profissionais trabalham em salas fechadas com ar condicionado sempre ligado, por causa da aparelhagem, ou nas ruas, gravando imagens e entrevistando pessoas.

Somente neste mês, pelo menos seis profissionais que trabalham em emissoras da capital foram contaminados. Também há registro de contaminação em jornal diário.

Esse procedimento padrão vai ajudar a esclarecer dúvidas dos profissionais das emissoras e também dos que trabalham em sites e jornais impressos.

Uma das mais recorrentes é o que fazer quando há confirmação de contágio de um profissional que está trabalhando presencialmente.

Quem deve ser afastado? O ar condicionado deve permanecer ligado? Como deve ser feita a sua desinfecção? E a dos estúdios? Com qual regularidade? Como deve ser feita a limpeza de equipamentos compartilhados, como microfone, por exemplo? Quantas pessoas podem permanecer em um estúdio? Estes também são questionamentos recorrentes.

Mande sua dúvida para o Sindicato até o dia 13 de junho que todas serão encaminhadas ao sindicato patronal.

Zap para enviar as perguntas: (31) 9-8239-4231.

Abaixo outros questionamentos já feitos.

-O uso de ar condicionado é seguro?

-As equipes de produção precisam fazer o trabalho presencial na empresa?

-Há um grupo de risco bem definido na covid-19, e a obesidade faz parte dele. Os jornalistas obesos estão sendo tratados como grupo de risco?

-A distância de 1,5 metro é uma média, mas se tem visto jornalistas mais próximos do que isso em estúdios. Não há como limitar?

-Os profissionais que vão às ruas recebem o número suficiente de máscaras, para que a troca da mesma aconteça no máximo a cada duas horas?

-Quando há um caso positivo, como é o procedimento com os colegas que convivem com este jornalista contaminado?

-Quais cuidados ao andar no carro de reportagem?

-Se a pauta for em hospital, o que fazer para limpar o equipamento quando chega na redação?

[10/7/20]

 

Veja também

Campanha Salarial 2020 dos jornalistas, assessores e radialistas: saiba como estão as negociações com os patrões

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais e o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *