SJPMG participa de reunião do Conselho de Transparência Pública

O jornalista Marcelo Freitas, representante do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais, participou nesta quinta-feira 6/2 da terceira reunião do Conselho de Transparência Pública e Combate à Corrupção de Minas Gerais.

O Conselho foi criado em junho do ano passado por decreto do governador Zema para “debater e sugerir medidas de aperfeiçoamento e fomento de políticas e estratégias, no âmbito da Administração Pública, sobre prevenção e combate à corrupção, fomento da transparência e do acesso à informação pública, integridade e ética nos setores público e privado e controle social para acompanhamento e fiscalização da aplicação dos recursos públicos”.

Ele tem caráter consultivo e é composto por 12 membros, titulares e suplentes, sendo 6 representantes do Poder Executivo Estadual e 6 da sociedade. Os representantes da sociedade são dois de organizações com experiência em transparência, dois da academia, um da imprensa – indicado pelo SJPMG – e um da Ordem dos Advogados do Brasil Seção Minas Gerais.

“O Conselho ainda é embrionário, mas pode ser um espaço importante de participação dos jornalistas para aumentar a transparência no serviço público”, avaliou Marcelo Freitas. “O Conselho pode sugerir medidas para serem adotadas por qualquer órgão público, inclusive prefeituras e câmaras municipais.”

Entre ações que interessam diretamente aos jornalistas estão sugestões de melhoramentos no Portal da Transparência de Minas Gerais.

“A participação do Sindicato dos Jornalistas tem um significado importante porque a transparência nas ações governamentais está diretamente ligada à atividade fim do jornalismo”, disse Marcelo.

A próxima reunião do Conselho está marcada para março. Será uma reunião extraordinária, que terá como pauta a aprovação do regimento interno do novo órgão.

[7/2/20]

 

Veja também

SJPMG repudia ataques a jornalistas por vereadora de Bom Jesus do Amparo

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais vem a público repudiar os ataques feitos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *