RETROSPECTIVA 2019: Google fez grandes contribuições para negadores das mudanças climáticas

Por Stephanie Kirchgaessner, The Guardian, em Washington. Sexta-feira, 11/10/19.

Os pedidos públicos da empresa por ação climática contrastam com o apoio a grupos conservadores.

Google fez contribuições “substanciais” para alguns dos mais notórios negadores do clima em Washington, apesar de insistir em apoiar ações políticas contra a crise climática.

Entre centenas de grupos que a empresa listou em seu saite como beneficiários de suas doações políticas há mais de uma dúzia de organizações que fizeram campanhas contra a legislação climática, questionaram a necessidade de ação ou procuraram ativamente reverter as proteções ambientais da era Obama.

A lista inclui o Instituto de Empresas Competitivas (CEI), um grupo político conservador que foi fundamental para convencer o governo Trump a abandonar o acordo de Paris e criticou a Casa Branca por não desmantelar mais regras ambientais.

O Google disse estar decepcionado com a decisão dos EUA de abandonar o acordo climático global, mas continuou a apoiar a CEI.

O Google também está listado como patrocinador da próxima reunião anual da State Policy Network (SPN), uma organização que apoia grupos conservadores, incluindo o Heartland Institute, um grupo anti-ciência radical que repreendeu a adolescente ativista Greta Thunberg por “ilusão climática histérica”.

Os membros do SPN criaram recentemente um saite de “garantia climática” que afirma falsamente “nosso ambiente natural está melhorando” e “não há crise climática”.

Leia a íntegra no The Guardian, em inglês. Ilustração: Desenho Guardian.)

 

#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

[11/10/19]

 

Veja também

Salário mínimo deveria ser de R$ 4.400, segundo cálculo do Dieese

Abandonada pelo atual governo, política de valorização do piso nacional foi responsável por incremento de ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *