Pesquisa aponta que mídia latino-americana está sob controle de famílias empresariais

Na América Latina, os meios de comunicação estão sob controle do setor corporativo e de famílias empresariais que se vinculam às elites econômicas e políticas e usam sua capacidade de influenciar a opinião pública como capital. É o que conclui a pesquisa “Quem controla a mídia na América Latina?”, que será lançada pelo Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social e Repórteres sem Fronteiras (RSF) em São Paulo, no dia 3 de dezembro. O estudo compara a concentração dos meios de comunicação entre Argentina, Brasil, Colômbia, México e Peru.

Na Argentina, por exemplo, os 52 principais meios de comunicação estão nas mãos de 22 empresas. Na Colômbia, os três grupos de mídia com maior audiência controlam 57% do conteúdo que a sociedade pode acessar no rádio, TV, internet e mídia impressa. No Peru, um dado sem paralelos: 68% da audiência estimada para notícias online no país estão nas mãos de um só grupo.

A pesquisa integra o Media Ownership Monitor (MOM), uma metodologia de mapeamento global que gera uma base de dados acessível publicamente e atualizada constantemente sobre os principais proprietários dos meios de comunicação de um país, incluindo mídia impressa, rádio, televisão e online. O objetivo é lançar luz sobre os riscos que a concentração da propriedade representa para o pluralismo e a diversidade da mídia. O MOM também avalia qualitativamente as condições do mercado e o ambiente regulatório.

“A transparência da propriedade é essencial para que os leitores, espectadores e ouvintes possam receber a informação de forma crítica. A produção da notícia não é neutra, é preciso entender os potenciais interesses que movem os principais veículos de comunicação de um país”, afirma Olívia Bandeira, coordenadora executiva do Intervozes e pesquisadora do MOM Brasil.

Para Nube Alvarez, coordenadora regional do MOM para América Latina da RSF, a concentração de mídia na América Latina está em crescimento e é controlada por alguns dos empresários mais ricos do mundo. “Enquanto as riquezas crescem, a concentração da propriedade dos meios de comunicação também aumenta. O projeto MOM é essencial para entender as relações entre os meios de comunicação e o poder, onde os proprietários de mídia não respeitam os direitos trabalhistas dos jornalistas, por exemplo. Isso resulta na precarização do trabalho jornalístico, na vulnerabilidade e na falta de independência dos jornalistas. Além disso, a linha editorial, muitas vezes, está atrelada à quantidade de dinheiro que os veículos recebem da publicidade pública e privada”, pontua.

Para discutir os impactos dos monopólios midiáticos no cenário político da América Latina estarão presentes Emmanuel Colombié, diretor da Repórteres Sem Fronteiras – América Latina; Gerardo Araguren, editor do Tiempo Argentino e consultor do MOM Argentina; e Luís Brasilino, editor do Le Monde Diplomatique Brasil e apresentador do podcast Guilhotina. A mediação será de Olívia Bandeira.

Na ocasião, será apresentada uma cartilha com propostas de políticas para a promoção da pluralidade e da diversidade nos meios de comunicação. O evento irá acontecer na Matilha Cultural e após a roda de conversa será realizada uma confraternização.

SERVIÇO
Lançamento da pesquisa “Quem controla a mídia na América Latina?”
Data: 3/12/19
Horário: 19h
Local: Matilha Cultural (Rua Rego Freitas, 542, República, SP)
Evento gratuito e aberto ao público

Informações: Gyssele Mendes (Intervozes): (21) 9-9638-1955, gyssele@intervozes.org.br; Olívia Bandeira (Intervozes): (11) 9-4432-9953 oliviabandeira@intervozes.org.br

 

#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

[27/11/19]

 

Veja também

Para militares, aposentadoria terá salário integral, sem idade mínima

O Senado aprovou nesta quarta-feira 4/12 a reforma da Previdência militar, que contempla todos os ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *