Programa Entre(vistas) com o cineasta Cao Guimarães vai ao ar nesta quinta 22/8, às 11h

Vai ao ar nesta quinta-feira 22/8, às 11h, no YouTube e no IGTV do Instagram, a entrevista produzida pelo coletivo mineiro Almôndegas Filmes com o cineasta e artista plástico Cao Guimarães (foto). O programa é o quarto da série Entre(vistas), produção independente que estreou no dia 1° de agosto e apresenta uma nova entrevista toda quinta-feira, sempre com personalidades da cultura, das artes e da política.

Os três primeiros entrevistados foram o rapper e artista visual Fabrício FBC, a atriz Teuda Bara, do Grupo Galpão, e Andréia de Jesus, primeira deputada negra eleita por Minas Gerais. Os programas estão disponíveis gratuitamente e podem ser vistos clicando AQUI.

Entre(vistas) é dirigido pela jornalista Bárbara Ferreira em conjunto com o jornalista e cineasta Lipe Canêdo, diretor do SJPMG, e o cineasta Ricardo Murad. “São 30 minutos de entrevista, mostrando visões de mundo originais, em um formato intimista, de mais conversa e mais escuta”, explica Bárbara.

Inspirado no renomado programa Ensaio, da TV Cultura de São Paulo, e na série portuguesa If You Walk the Galaxies, Entre(vistas) tem uma apresentação minimalista, com destaque para a iluminação sobre um fundo preto, informa Ricardo.

A primeira temporada terá dez entrevistas e será veiculada até o dia 3 de outubro. Já estão em fase de produção programas com a artista plástica Jade Marra, o jornalista e galerista Bernardo Biagioni e o ativista Leonardo Péricles.

Longa e prêmio

Fundado em 2014, o coletivo Almôndega Filmes prepara-se para estrear seu primeiro longa-metragem, Pelos Corredores de Nossa Casa, um documentário sobre a Moradia Estudantil Borges da Costa, ocupação que durou 18 anos dentro do Campus de Medicina da UFMG.

O coletivo já produziu curtas-metragens em Cuba e Portugal, entre eles Arara: um filme sobre um filme sobrevivente, sobre a Guarda Rural Indígena, um batalhão da PM mineira com cerca de 95 indígenas, de cinco etnias diferentes. O filme, que contém a única cena pública de tortura durante a ditadura militar, foi vencedor na categoria melhor curta no 34° Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo em 2017, promovido pela Ordem dos Advogados do Brasil do Rio Grande do Sul e pela Associação dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos do Rio Grande do Sul.

Arara e outros curtas podem ser assistidos na íntegra no saite da produtora: almondegafilmes.com.

(Crédito da foto: Bárbara Ferreira.)
#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

[21/8/19]

Veja também

Café & Chat discutirá regulação da internet nesta segunda 23/9, às 18h, na Casa do Jornalista

O Instituto de Referência em Internet e Sociedade (Iris) e o Grupo de Estudos Internacionais ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *