Sindicatos suspendem negociação até que salários sejam pagos em dia

Os Sindicatos dos Jornalistas, dos Gráficos e dos Empregados na Administração de Jornais e Revistas informam que decidiram suspender as negociações que vinham sendo realizadas perante o Cejusc – setor responsável na Justiça do Trabalho por promover conciliação judicial, no caso específico, dos processos movidos contra a direção dos Diários Associados.

A decisão foi tomada diante do fato de as empresas virem mantendo constantes atrasos no pagamento dos salários de parte dos funcionários do setor administrativo e dos editores do jornal Estado de Minas, um total descaso com o trabalhador.

No Cejusc foram travadas discussões em torno das ações coletivas ajuizadas pelos sindicatos contra as empresas, envolvendo o não pagamento de férias e vale refeição, não recolhimento do FGTS, redução salarial de 30% e atraso na quitação do 13º salário de 2015.

Lembramos que as empresas dos Diários Associados fizeram um requerimento perante o judiciário trabalhista, visando a estabelecer um acordo em torno dessas ações, já que o passivo trabalhista alcança valores expressivos.

As discussões começaram em novembro do ano passado e os sindicatos solicitaram à Justiça que a direção das empresas regularizassem de imediato o pagamento dos direitos básicos dos empregados da ativa (salários, FGTS, férias e vale refeição etc.), sendo tal condição pressuposto a ser observado primeiramente, visando a facilitar o bom andamento das negociações.

No entanto, meses depois de iniciadas as negociações, os Diários Associados mantiveram a prática ilegal de atrasar salários de editores e funcionários da administração e continuam sem recolher o FGTS, sem pagar o abono de um terço das férias e o vale refeição dos trabalhadores da administração, além de não repassar as contribuições associativas descontadas em folha de pagamento e devidas aos sindicatos.

Diante dessa postura, não restou aos sindicatos outra alternativa que não a de suspender as negociações, visto que os salários do mês de março de 2019 ainda não foram pagos para boa parte dos empregados.

Assim, os Sindicatos somente retomarão as negociações após a regularização das questões acima citadas e, para tanto, enviaram oficio à Justiça do Trabalho, informando o juiz os fatos narrados acima.

Reafirmamos a disposição para voltar à mesa de negociações, desde que as empresas regularizem de imediato o pagamento dos direitos básicos dos trabalhadores.

 

#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

[12/4/19]

Veja também

Sakamoto: jornalistas estão em perigo e situação vai piorar

Os jornalistas estão em perigo, porque suas matérias estão irritando os poderosos. Vivemos um momento ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *