Gabinete de Crise da Sociedade Civil dá entrevista coletiva nesta quinta 14/2

Entidades da sociedade civil criaram um Gabinete de Crise para monitorar desdobramentos e reivindicar segurança e defesa de direitos, exigir justiça e transparência. Uma entrevista coletiva está marcada para esta quinta-feira 14/2, às 9h.

O Gabinete de Crise vai acompanhar as ações relacionadas ao rompimento da barragem de rejeitos da Vale na mina Córrego do Feijão, exigir a punição dos responsáveis e a defesa dos direitos das vítimas, apoiar e propor medidas que evitem novos desastres e tragédias, dar visibilidade aos impactos da mineração nas comunidades, ecossistemas e segurança hídrica do estado e às alternativas a esse modelo

A coletiva do Gabinete de Crise está marcada para esta quinta-feira 14/2, das 9h às 12h, no auditório da Associação dos Funcionários Fiscais do Estado de Minas Gerais (Rua Sergipe, 893, Savassi).

Na pauta, o olhar da sociedade civil sobre os desdobramentos do rompimento da barragem da Vale na Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, a situação das comunidades afetadas e do Rio Paraopeba, o papel da empresa e dos diversos atores após a tragédia e a perspectiva quanto à segurança hídrica de Belo Horizonte e sua região metropolitana e ao futuro diante da possibilidade de novos desastres relacionados à ruptura de barragens de rejeitos da mineração.

O Gabinete de Crise da Sociedade Civil terá uma plataforma de informação e justiça socioambiental, a partir de uma articulação de diversos cidadãos, movimentos socioambientais, pesquisadores e ativistas.

Participarão da coletiva de imprensa o médico, coordenador do Projeto Manuelzão/UFMG, membro do Instituto Guaicuy – SOS Rio das Velhas e presidente do Fórum Mineiro de Comitês de Bacias Hidrográficas, Marcus Vinícius Polignano; o geógrafo, especialista em direito ambiental, mestre e doutor em geografia e análise ambiental, Rodrigo Lemos; a jornalista e produtora rural, moradora da comunidade de Jangada e presidente da Associação Comunitária, integrante do Movimento Águas e Serras de Casa Branca e da Articulação Internacional dos Atingidos e Atingidas pela Vale, Carolina de Moura Campos, e a ambientalista, integrante do Movimento pelas Serras e Águas de Minas, SOS Serra da Piedade e Movimento pela Preservação da Serra do Gandarela e conselheira da Câmara de Atividades Minerárias do Conselho de Política Ambiental de Minas Gerais representando o Fonasc-CBH, Maria Teresa Corujo.

SERVIÇO

Coletiva de imprensa para o lançamento do Gabinete de Crise – Sociedade Civil

Local: Belo Horizonte (Auditório da Associação dos Funcionários Fiscais do Estado de Minas Gerais, Rua Sergipe, 893, Savassi).

Data: 14 de fevereiro de 2019 (quinta-feira). Horário: das 9h às 12h.

Confirmação de presença e outras informações pelo email: comunicacaogcsc@tutanota.com ou pelos telefones 31 3409-9646 (Projeto Manuelzão UFMG) ou 31 97133-5665 (Movimento pelas Serras e Águas de Minas).

(Crédito da foto: Ísis Medeiros / Folha de S.Paulo.)

#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

[13/2/19]

Veja também

Bloco do Pescoção faz vaquinha para desfile. Participe

O Bloco do Pescoção, que desde 2015 participa do carnaval belo-horizontino, reunindo jornalistas e simpatizantes, ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *