Pesquisa sobre propriedade da mídia no Brasil será lançada nesta terça 31/10 em SP

Repórteres Sem Fronteira e Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social lançam nesta terça 31/10 em São Paulo o Monitoramento da Propriedade da Mídia (Media Ownership Monitor/MOM). A pesquisa mapeou os 50 maiores veículos de mídia impressa, rádio, televisão e internet do país, os grupos econômicos a que pertencem, seus proprietários, que outros negócios possuem, suas relações políticas.

O resultado será apresentado ao longo de uma programação que contará, além da equipe da pesquisa, com a presença de Olaf Steenfadt, coordenador global do MOM na Repórteres Sem Fronteiras da Alemanha, e especialistas no tema, como os pesquisadores Cynthia Ottaviano (presidenta da Organização Interamericana de Defensoras e Defensores das Audiências – OID), Martín Becerra (Universidad Nacional de Quilmes/Argentina) e Franklin Martins (jornalista e ex-ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República).

Os dados e seus desdobramentos analíticos estarão num saite também disponível a partir desta terça.

PROGRAMAÇÃO

• Divulgação dos resultados da pesquisa pelos coordenadores da pesquisa no Brasil e representantes da RSF da Alemanha.

• Painel “O que há de novo e de antigo na concentração da propriedade da mídia? Desafios para a pluralidade na América Latina.”, com Cynthia Ottaviano, Franklin Martins e Martín Becerra.

SOBRE O MOM

O Monitoramento da Propriedade da Mídia (Media Ownership Monitor/MOM) é uma iniciativa global de pesquisa e incidência política para criar transparência a respeito de quem são os donos da mídia – e, por meio da contextualização e análise de informações, responder a pergunta “quem controla a mídia?”. Fornece ao público uma fonte acessível e continuamente atualizada sobre os interesses por trás das notícias que assistimos, lemos, ouvimos.

O Brasil é o décimo-primeiro país onde a pesquisa é realizada. No saite Media Ownership Monitor estão os seus resultados em países como Peru, Ghana, Turquia, Filipinas, Ucrânia, Cambodja. Neste momento, a pesquisa está em andamento no Marrocos e no Paquistão e, no início de 2018, começa a ser realizada no México.

No Brasil, foram analisadas as redes de TV aberta Globo, SBT, Record, Band, RedeTV!, RecordNews, TV Brasil, Rede Vida e Gospel, e os veículos de televisão por assinatura, Globo News e Band News. Também foram analisadas as redes de rádio Jovem Pan, Gaúcha Sat, Band FM, Globo AM/FM, Transamérica, Mix FM, CBN, Rede Católica de Rádio, Rede Aleluia, Bandeirantes, BandNews e Novo Tempo; os portais Globo.com, UOL, Abril, IG, ClicRBS, Estadão, R7, Revista Fórum, O Antagonista e BBC; as revistas Veja, Época e IstoÉ e os jornais Folha de S. Paulo, O Globo, Super Notícia, O Estado de S. Paulo, Zero Hora, Extra, Diário Gaúcho, Agora São Paulo, O Estado de Minas, Valor Econômico, Correio Braziliense, O Tempo, Correio do Povo e Daqui.

SOBRE OS CONVIDADOS

Cynthia Ottaviano: jornalista, presidenta da Organização Interamericana de Defensoras e Defensores das Audiências (OID) e Presidenta do Comitê Diretivo da Organização dos Defensores do Público (ONO), que reúne defensores dos cinco continentes. Foi a primeira Defensora do Público de Serviços de Comunicação Audiovisual na Argentina, função criada pela Lei de Meios daquele país. Professora da Universidad Nacional de La Plata e da Universidad del Salvador.

Franklin Martins: jornalista, com trabalhos em veículos da mídia impressa como Hora do Povo, O Globo, Jornal do Brasil, SBT, Estado de São Paulo. Foi correspondente do Jornal do Brasil em Londres e repórter especial de O Globo, onde também foi diretor de redação da sucursal de Brasília. Foi comentarista politico na TV Globo, na Globonews e nas rádios CBN e Bandeirantes. Foi ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom/PR) entre 2007 e 2010, na qual desenvolveu uma agenda a respeito de experiências globais de regulação da mídia como garantia de diversidade e pluralismo.

Martín Becerra: professor na Escola de Comunicação da Universidad Nacional de Quilmes e na Universidade de Buenos Aires. Membro do Conselho Nacional de National Pesquisas Científicas e Técnicas (CONICET) na Argentina. Autor de Sociedad de la Información: Proyecto, Convergencia, Divergencia; co-autor com Guillermo Mastrini de Periodistas y Magnates: Estructura y Concentración de las Industrias Culturales en América Latina e de Los Dueños de la Palabra: Acceso, Estructura y Concentración de los Medios en la América Latina del Siglo XXI.

Olaf Steenfadt: coordenador global do projeto Media Ownership Monitor na Repórteres Sem Fronteiras. Durante anos foi consultor para o pluralismo da mídia, especialmente na cooperação para o desenvolvimento. Trabalhou em organizações internacionais e ONGs, principalmente no Sudeste da Europa e no mundo árabe. Trabalhou para ARD e ZDF em vários papéis, inclusive como apresentador de rádio e TV, jornalista investigativo, correspondente doméstico e estrangeiro. Ensina a história da mídia, política de mídia e regulamentação em universidades na Alemanha e na Europa.

SERVIÇO

Dia: 31/10/2017

Hora: 18h

Local: Auditório do Sindicato dos Engenheiros de São Paulo (Rua Genebra, 25, Bela Vista)

Informações e inscrições: https://www.facebook.com/events/1687819304586287/

[30/10/17]

Veja também

Câmara de Aracaju aprova exigência de diploma para jornalistas no poder público municipal

A Câmara Municipal de Aracaju (SE) aprovou por unanimidade nesta quarta-feira 21/10, em sessão remota ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *