Sindicato repudia censura judicial imposta à Tribuna de Betim a pedido do empresário Vittorio Medioli

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais vem a público manifestar seu repúdio à censura imposta à Tribuna de Betim, a pedido do empresário Vittorio Medioli, prefeito de Betim e proprietário dos jornais O Tempo, Super Notícia e Pampulha e rádio Super Notícia.

O motivo da censura foi publicação, pela Tribuna de Betim, de press release da Receita Federal anunciando a Operação Hammer-on, em conjunto com a Polícia Federal, em 15 de agosto passado.

A operação de combate a lavagem de dinheiro e evasão de divisas atingiria várias cidades de cinco estados, entre eles Minas Gerais

O diretor da Tribuna de Betim, Alex Bezerra, juntou ao press release uma notícia publicada amplamente na imprensa em fevereiro de 2015, da condenação de Vittorio Medioli a cinco anos e cinco meses de prisão pela Justiça Federal em Minas Gerais, pelos crimes de evasão de divisas e manutenção clandestina de depósitos no exterior.

Alex Bezerra alega que solicitou informações à Polícia Federal para confirmar a prisão de Vittorio Medioli e como não teve retorno publicou a notícia como uma hipótese.

Vittório Medioli solicitou que a Tribuna de Betim fosse tirada do ar.

Solicitou ainda que os links da notícia de Google e Facebook fossem removidos.

O juiz negou as duas solicitações, mas determinou que a notícia fosse removida até a audiência de conciliação marcada para novembro.

O Sindicato manifesta sua preocupação contra a censura que atinge os pequenos veículos.

Estranha também que a iniciativa tenha sido tomada por um empresário de comunicação, que deveria estar na linha de frente contra qualquer tipo de censura.

Não é a primeira vez que a Tribuna de Betim, publicada desde 2002, sofre ameaças e tentativas de censura.

Calar um veículo crítico soa a perseguição política. A impressão é reforçada pelo relato de ameaças ao diretor da Tribuna feitas por pessoas que seriam próximas ao prefeito, no grupo do WhatsApp, denominado Câmara Popular de Betim.

Como bem observa a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo, ao denunciar a censura, quando a Justiça é acionada contra a imprensa na esfera criminal o resultado não é a reparação do erro jornalístico, mas a censura, inaceitável e condenada internacionalmente.

Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais

[29/9/17]

Veja também

Estado de Minas: Empregados da administração decidem fazer greve

Em assembleia realizada na tarde desta quinta-feira 13/12, os empregados na administração do jornal Estado ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *