Comissão da Verdade realiza audiência pública sobre censura aos meios de comunicação

A Comissão da Verdade de Minas Gerais (Covemg) realiza nesta quinta-feira 23/3, às 14h, no auditório da Associação Médica de Minas Gerais (Avenida João Pinheiro 161, Centro, Belo Horizonte), uma audiência pública para tratar da censura aos meios de comunicação durante a ditadura (1964-1985).

A audiência terá depoimentos de alguns protagonistas de episódios de censura vividos pela imprensa mineira durante a ditadura. São eles: Aloísio Morais, Ângelo Oswaldo, Carlos Lindenberg, Manoel Guimarães, Miriam Christus, Nilmário Miranda, Vilma Fazito e Washington Mello.

“A intenção é ter os depoimentos de profissionais que nesse período vivenciaram episódios de censura e relatar a luta dos jornalistas mineiros pelo direito à informação, violado pela ditadura”, informa a Maria Ceres Pimenta, coordenadora da subcomissão da Covemg que trata da consura aos meios de comunicação. Ela observa que uma audiência com esse conteúdo é fundamental para se entender o que está acontecendo no Brasil atualmente.

Todos os depoentes eram jornalistas durante a ditadura, alguns deles continuam exercendo a profissão. Todos enfrentaram a censura nos veículos em que trabalhavam, nos anos 70. Aloísio Morais, atualmente redator do jornal Hoje em Dia e diretor do Sindicato dos Jornalistas, nos anos 70 fez parte da equipe do jornal alternativa De Fato. Ângelo Oswaldo, hoje secretário de estado da Cultura, foi diretor do Suplemento Literário. Carlos Lindemberg, hoje comentarista da Rádio Itatiaia e colunista político, trabalhou em diversos jornais e foi diretor do Sindicato. Manoel Guimarães, ex-presidente do Sindicato, foi assessor de imprensa da UFMG. Míriam Christus e Vilma Fazito foram repórteres da Rede Globo. Nilmário Miranda, hoje secretário de estado de Direitos Humanos, fez parte da equipe do Jornal dos Bairros. Washington Mello foi presidente do Sindicato de 1978 a 1980.

“A iniciativa é muito importante porque vai registrar e mostrar para as novas gerações como a censura atuou em Minas Gerais, nas suas várias formas, atingindo muita gente e principalmente a opinião pública”, ressalta Aloísio Morais. Ele acrescenta que os métodos usados pela ditadura voltam a ser vistos hoje, como na condução coercitiva do blogueiro Eduardo Guimarães pela Polícia Federal, ocorrida na terça-feira 21/3.

SERVIÇO

Audiência Pública – Censura aos Meios de Comunicação

Data: 23 de março de 2017, quinta-feira

Horário: 14h

Local: Teatro Oromar Moreira, da Associação Médica de Minas Gerais (Avenida João Pinheiro, 161, Centro, Belo Horizonte, MG)

[22/3/17]

Veja também

ALMG tem surto de covid depois de convocar todos os terceirizados, muitos sem direito a plano de saúde

Já são seis trabalhadores da área de comunicação da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (quatro ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *