Ou reagimos agora ou seremos massacrados: Sindicato convoca jornalistas à luta

Vivemos tempos difíceis, mas não podemos cruzar os braços. O que está em jogo é a nossa profissão e o futuro dela. Todos sabemos que o mercado jornalístico mineiro enfrenta uma crise com o declínio dos impressos, em grande parte pela adoção de linha editorial pouco independente e atrelada ao poder político e econômico. Por isso, ou reagimos agora ou seremos massacrados com o rebaixamento dos salários, perda de direitos e precarização da profissão.

Essa é uma luta de todos jornalistas e demais trabalhadores das empresas de comunicação. Não importa se você trabalha em um jornal impresso, onde os patrões querem cortar cerca de 20% dos salários e onde alguns já cortaram, ilegalmente, 30% dos vencimentos, ou se você trabalha no rádio, na televisão e nas assessorias de imprensa, onde querem oferecer zero de reposição ou um aumento ridículo, que não repõe nem as perdas com a inflação, que vem comendo o salário e reduzindo assustadoramente o nosso poder de compra. Não importa também se você escreve para um portal de notícias ou trabalha na mídia independente. Ou se você é gráfico ou trabalha no setor administrativo.

O que está acontecendo é um problema de todos nós e as consequências terão reflexos em todas as redações, com o nivelamento cada vez mais por baixo dos salários e a crescente perda de direitos. O salário do Estado de Minas já foi cortado. Agora querem estender esse absurdo para todas as redações de impresso. Amanhã farão o mesmo nas rádios, televisões e portais de notícia.

Entrar nessa batalha não é fácil. O jogo é bruto, rola ameaça, pressão. O mercado enxuto e a interminável crise política e econômica não ajudam, mas se ficarmos passivos cada vez será mais difícil nos contrapormos aos desmandos. Logo estaremos pagando para trabalhar.

Todas essas ameaças fazem parte de um plano de desmonte dos direitos trabalhistas que vem sendo arquitetado pelo atual governo e que, se não for barrado, vai prosperar.

A única solução é uma ampla mobilização da imprensa mineira, de todos que trabalham nela, jornalistas, gráficos, administradores. Uma mobilização geral, sem furo, com a participação de todos. Além de mostrar nossa força, a união evita retaliações contra o movimento e seus participantes.

A partir de quarta-feira 14/9, os sindicatos começam a percorrer as redações para discutir as estratégias de mobilização e ouvir a categoria. A mobilização começa após a reunião de mediação no Ministério do Trabalho, na tarde desta terça-feira 13/9.

A primeira redação a ser visitada será a do jornal O Tempo. Na quinta-feira será a vez do Estado de Minas e na sexta, do Hoje em Dia. Na semana que vem será realizada uma assembleia conjunta para decidir as ações que serão feitas. O horário vai ser definido com os trabalhadores durante essas assembleias.

Por isso, convocamos TODOS OS JORNALISTAS para se juntarem a esta causa.

Uma causa que é nossa.

Luta, Jornalista!

Agenda das assembleias:

O Tempo, Super, Pampulha e portal: quarta-feira, 14/9, 14h30

Estado de Minas, Aqui e portal: quinta-feira, 15/9 13h30

Hoje em Dia: sexta-feira, 16/9, 13h30

Assembleia conjunta na semana que vem em data a ser definida.

 

Veja também

Certificados do Curso Livre de Jornalismo já estão disponíveis

Se você se inscreveu antecipadamente e assistiu 50% das aulas da segunda temporada do Curso ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *