Justiça condena Hoje em Dia a pagar jornalistas dispensados

A Justiça do Trabalho condenou a Ediminas S/A Editora Gráfica Industrial de Minas Gerais, que publica o jornal Hoje em Dia, o empresário Ruy Muniz e outros a pagarem direitos trabalhistas aos jornalistas Ana Lúcia Gonçalves e Leonardo Vieira Morais, dispensados pela empresa sem justa causa no dia 18 de abril deste ano. Eles trabalhavam na sucursal do Hoje em Dia em Governador Valadares. O valor calculado da ação é de R$ 180 mil.

Novo proprietário do Hoje em Dia, o empresário e prefeito de Montes Claros Ruy Muniz foi considerado réu solidário à Ediminas, juntamente com sua esposa, a deputada federal Tânia Raquel de Queiroz Muniz, e outros seis sócios ou ex-sócios da empresa: Editora Minas Eireli ME, Rádio e Televisão Record, Luciano Resende Martins de Souza, Lucianne Rafella Viana Tupinambá Rodrigues, Flávio Jacques Carneiro e Antônio Carlos Tardeli.

Esta é a primeira sentença da Justiça do Trabalho em uma ação movida contra o Hoje em Dia pelos jornalistas dispensados em massa pelo jornal a partir de 29 de fevereiro deste ano. É também a primeira a atingir Ruy Muniz, cujo nome não aparece nas empresas das quais é proprietário.

A sentença foi proferida pelo juiz Daniel Chein Guimarães no dia 15/6/16 e determina que os réus paguem aos jornalistas: aviso prévio indenizado; férias integrais 2014/2015 mais 1/3; 13º salário proporcional de 2016; saldo de salário de 18 dias de abril de 2016 e multa de 40% do FGTS; multa prevista no artigo 477 da CLT, por demissão sem motivo; multa prevista no artigo 467 da CLT incidente sobre o aviso prévio indenizado, férias integrais e proporcionais, 13º de 2016, saldo de salário de abril e multa de 40% do FGTS; diferenças de FGTS e ainda duas multas pelo atraso no pagamento das verbas rescisórias.

 

Veja também

ALMG tem surto de covid depois de convocar todos os terceirizados, muitos sem direito a plano de saúde

Já são seis trabalhadores da área de comunicação da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (quatro ...

Um comentário

  1. É reconfortante saber que a justiça não apoia caloteiros, que o trabalhador pode confiar que seus direitos serão preservados. Quero agradecer publicamente as atuações do Sindicato dia Jornalistas e do advogado Luciano, que muito competentemente nos representou. Força aos demais colegas que pleiteiam seus direitos, na certeza de que sairemos vencedores em Cristo

Deixe uma resposta para Leonardo Morais Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *