Juiz promete desfecho rápido para redução ilegal de salários nos Associados

Aconteceu nesta sexta-feira 10/6 na Justiça do Trabalho a primeira audiência para tratar da redução salarial ilegal imposta pelos Associados aos jornalistas, radialistas e trabalhadores da administração. A audiência demorou cerca de duas horas. Nela, os sindicatos puderam explicar para a justiça como aconteceu o processo de redução e suas ilegalidades. O juiz do caso se comprometeu a dar um desfecho célere para o processo. A nova audiência está marcada para o dia 15 de julho.

Ontem (9/6), os trabalhadores dos Associados também se reuniram para discutir as ações de mobilizações que serão feitas contra o corte ilegal de salários. Ficou decidido que será feita na segunda-feira 13/6 nova assembleia na porta da TV Alterosa, às 13h30, e do Estado de Minas, às 14h, na segunda-feira. Outras ações serão feitas ao longo do mês de junho e julho para denunciar a ilegalidade da redução e o descumprimento constante dos direitos dos trabalhadores que vem sendo feito pelos patrões.

Na reunião na justiça do trabalho também foi dado um informe sobre a paralisação do Correio Braziliense, jornal dos Associados no Distrito Federal, contra o não pagamento de benefícios e da participação nos lucros devida aos trabalhadores. Segundo informações do Sindicato dos Jornalistas do DF, a adesão ao movimento foi maciça e forçou a empresa a apresentar uma proposta para as demandas da categoria. Durante duas horas, no horário do fechamento, os jornalistas cruzaram os braços. Está prevista para hoje uma nova paralisação.

Toda solidariedade aos trabalhadores do Correio que, como os dos Associados Minas, têm tido seus direitos descumpridos de maneira acintosa.

Também foi feito um relato sobre as ações em andamento (FGTS, férias, 13º, redução) e sobre as novas que serão ajuizadas nos próximos dias.

 

Veja também

MPT arquiva denúncia da chapa 1 contra eleição do SJPMG

O Ministério Público do Trabalho (MPT) arquivou nesta semana denúncia envolvendo o processo eleitoral para ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *