Falecimento: Jadir Barroso

O Sindicato dos Jornalistas cumpre o doloroso dever de comunicar o falecimento do seu associado Jadir Barroso, ocorrido na madrugada desta terça-feira 27/10/15, em Belo Horizonte. O sepultamento acontecerá no Cemitério Bosque da Esperança, às 17h.

Jadir Barroso dos Santos tinha 77 anos e faleceu vítima de câncer. Ele estava internado no Hospital Felício Rocho há 47 dias. Deixa viúva e duas filhas.

Repórter político durante muitos anos, Jadir escreveu um livro de memórias, “Meandros do Poder”, que seria lançado hoje, no próprio hospital onde estava internado.

Jadir Barroso nasceu em São José do Jacuri (MG), no dia 1/11/37. Era jornalista e associado do Sindicato desde 1960. Trabalhou no Diário de Minas e na sucursal do Jornal do Brasil. Foi gerente de Comunicação Social do BDMG, assessor de imprensa do governo de Minas e da Prefeitura de Belo Horizonte, nas administrações Francelino Pereira e Maurício Campos, respectivamente. Foi também presidente do Centro de Cronistas Políticos e Parlamentares de Minas Gerais (Cepo). Desde 1997 trabalhava no jornal Mercado Comum, do qual atualmente era chefe de redação.

Veja também

Campanha Salarial 2020 dos jornalistas, assessores e radialistas: saiba como estão as negociações com os patrões

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais e o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas ...

6 comentários

  1. Conheci o mestre Jadir Barroso. Sempre afável e educado. Era de uma simplicidade sem tamanho. Condolências à familia. Siga em paz amigo.

    Sérgio Vasconcelos

  2. Tive a honra de trabalhar ao lado de um refinado diamante, que nos transmitia um brilho narural com uma certa serenidade. Foi sem dúvidas, marco de fé,esperança e luta. Deixará eternaas saudades

  3. Jadir Barroso foi um exemplo, como pessoa e profissional. Vai fazer muita falta!

  4. Tive o prazer de trabalhar com o Jadir Barroso durante 3 anos. Excelente profissional e ótima pessoa.
    Sempre alegre, piadista e de bom humor…deixará saudades! Meus sentimentos a toda familia.

  5. Ana Carolina Mendes

    Sou neta do Jadir, desde pequena sempre fui muito próxima dos meus avôs. Uma das pessoas mais sábias e otimistas que já conheci, lembro-me muito bem de suas últimas palavras para mim:
    “Minha neta, tudo nessa vida passa. Pessoas vêm, pessoas vão, o dinheiro vem e vai, tudo é passageiro mas oque ninguém pode tirar de você é o seu conhecimento e oque você sabe.”

  6. Claudio de Araujo Alves

    Conheci Jadir em plena intimidade familiar, lá em São José de Jacuri. Pessoal humana e ordeira,amigo de verdade,altamente sensível às suas raízes lá de Jacuri.
    Vai com Deus grande e eterno amigo. Valeu ter você conosco, grande mestre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *