Sindicato dos Jornalistas do Rio condena demissões na Infoglobo

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro repudia mais um corte de jornalistas que acaba de ocorrer no Infoglobo e a falta de transparência da empresa em relação ao processo. Procurada pelo sindicato há cerca de uma semana, a empresa, por meio do seu RH, negou as notícias e se comprometeu a informar o sindicato caso houvesse de fato demissões, mas isso não foi cumprido. O Sindicato se manifesta solidário aos colegas demitidos e convoca toda a categoria para a luta sobre as circunstâncias em que ocorrem tais cortes no setor. Não podemos pagar a conta da crise econômica e do modelo de negócios dos nossos empregadores. Mesmo antes da crise, ao longo das últimas décadas, as empresas têm promovido de modo sazonal as demissões como meio de precarização dos jornalistas. Com o tempo, as vagas são substituídas por trabalhadores com salários 30% mais baixos e contratos via Pessoa Jurídica, em relações altamente precarizadas.

Além disso, avançam as fraudes nas relações trabalhistas e a terceirização em condições rebaixadas de direitos e benefícios. Mais uma vez, a lógica é a de que “quem paga conta é o trabalhador”. Por outro lado, a fortuna da Família Marinho, dona do Infoglobo, não para de crescer. Em recente divulgação da Revista Forbes, os três irmãos Marinhos aparecem empatados na quinta posição entre os mais ricos do Brasil. Somando o montante, os herdeiros acumulam uma fortuna de R$ 71,4 bilhões, o que renderia à Família Marinho a segunda posição na lista de bilionários brasileiros.

Na lógica do “cada um por si”, a nossa categoria fica mais vulnerável a essas práticas patronais. Precisamos nos organizar coletivamente para defender a nossa força de trabalho, a nossa profissão, o nosso papel na sociedade. Além de fiscalizar as condições em que ocorrem as demissões, o sindicato tem assessoria jurídica para assistir os colegas. Muito importante, neste momento, é garantir a nossa unidade na categoria, para a necessária resistência às investidas das empresas contra os nossos empregos, salários e condições de trabalho.

Diante da grave situação, convocamos toda a categoria para uma plenária de emergência nesta quinta-feira (3/9), a partir das 20h, e para uma Assembleia da categoria na próxima terça-feira (8/9) às 20h, ambas na sede do Sindicato.

(Publicado no saite do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro.)

 

Veja também

Emissoras educativas mineiras migram da Rede Minas para a TV Cultura de SP

Emissoras de televisão educativas de Minas Gerais lideradas pela Associação Mineira de Rádio e Televisão ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *