Refugiados: Sindicato recebe embaixador da Síria

O Sindicato dos Jornalistas foi sede nesta segunda-feira 28/9 do encontro do embaixador da Síria no Brasil, Ghassan Nseir, com representantes da Força-Tarefa para Receber e Auxiliar Refugiados em Minas Gerais. Eles apresentaram ao embaixador reivindicações dos cerca de 100 sírios refugiados no estado, especialmente facilidades para obtenção de documentos. O embaixador solicitou publicamente o apoio dos brasileiros e do governo brasileiro para ajudar o povo sírio a pôr fim aos ataques terroristas no país.

“A Síria é um país desenvolvido e laico, tem tudo para ter uma vida boa, mas as forças do imperialismo querem destruir o nosso país”, denunciou o embaixador. Ele explicou que a Síria sempre defendeu o povo palestino e em consequência disso 120 países se uniram contra os sírios. “Querem destruir a nossa aliança com os palestinos, por isso patrocinaram terroristas e enviaram armas. Hoje, essas mesmas forças fazem o discurso hipócrita, mostrando as lágrimas dos refugiados”, disse.

O embaixador responsabilizou os EUA pela destruição do país, a exemplo do que fez no Vietnã, no Paquistão e Iraque. “Onde eles entram deixam o problema maior”, disse. “O povo brasileiro precisa saber disso e ficar atento. A melhor ajuda que o Brasil pode dar à Síria é nos apoiar para acabar com o estado de terror. O melhor lugar para os sírios é na Siria.”

Também participaram do encontro os deputados federais Wadson Ribeiro, presidente da Frente Parlamentar Brasil-Países Árabes, a deputada federal Jô Morais, presidente da Comissão de Relações Internacionais da Câmara dos Deputados, o vereador Gilson Reis, o representante de relações internacionais do governo do estado, Rodrigo Perpétuo, o cônsul da Síria em Belo Horizonte, Emir Cadar, e o padre George Massis, pároco da Igreja do Sagrado Coração de Jesus, que tem acolhido refugiado sírios em Minas Gerais.

Tradição de luta pela paz

O presidente Kerison Lopes, lembrou os 70 anos do Sindicato dos Jornalistas, completados no dia 6 de setembro, e sua tradição de luta pela paz, desde sua fundação, em 1945, ano em que terminou a 2ª Guerra Mundial. “Defender a paz na Síria é apoiar o povo sírio para que derrote o terrorismo financiado pelo imperialismo norte-americano”, disse.

A Força-Tarefa para Receber e Auxiliar Refugiados em Minas Gerais foi criada no começo de setembro por iniciativa de um grupo de ativistas sensibilizados com a situação dos refugiados sírios. Ela vem se reunindo no Sindicato e já recebeu mais de meia tonelada de roupas e alimentos, não só para os sírios, mas também para os haitianos, que estão em maior número e situação mais precária no estado. No documento entregue ao embaixador, a Frente apresenta outros pleitos dos refugiados sírios, especialmente a renovação de passaportes – que custaria cerca de 400 dólares – e acesso a documentos, como certidões e diplomas, necessários para sua vida no Brasil.

O embaixador reconheceu que há muitos passaportes falsos. Ele explicou que a Síria é um país destruído pelo terrorismo. “Os sírios, hoje, são um povo indefeso, nessa guerra que já dura quatro anos e meio. Um povo sem energia, sem escolas, sem hospitais”, disse.

 

(Foto: O presidente Kerison Lopes fala no encontro com o embaixador Ghassan (de gravata vermelha). Crédito da foto: Rafael Gaia / Mídia Ninja.)

Veja também

Jornalistas comemoram condenação de Eduardo Bolsonaro por ataques a Patrícia Campos Mello

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) foi condenado a pagar indenização por dano moral no ...

Um comentário

  1. ME EMOCIONEI MUITO COM OS RELATOS DO EMBAIXADOR GHASSAN NSEIR SOBRE OS REAIS ACONTECIMENTOS NA SÍRIA. PUDE PERCEBER EM SEU OLHAR A TRISTEZA PELOS ACONTECIMENTOS. QUE DEUS OS ABENÇOE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *