Refugiados: Sindicato recebe embaixador da Síria

O Sindicato dos Jornalistas foi sede nesta segunda-feira 28/9 do encontro do embaixador da Síria no Brasil, Ghassan Nseir, com representantes da Força-Tarefa para Receber e Auxiliar Refugiados em Minas Gerais. Eles apresentaram ao embaixador reivindicações dos cerca de 100 sírios refugiados no estado, especialmente facilidades para obtenção de documentos. O embaixador solicitou publicamente o apoio dos brasileiros e do governo brasileiro para ajudar o povo sírio a pôr fim aos ataques terroristas no país.

“A Síria é um país desenvolvido e laico, tem tudo para ter uma vida boa, mas as forças do imperialismo querem destruir o nosso país”, denunciou o embaixador. Ele explicou que a Síria sempre defendeu o povo palestino e em consequência disso 120 países se uniram contra os sírios. “Querem destruir a nossa aliança com os palestinos, por isso patrocinaram terroristas e enviaram armas. Hoje, essas mesmas forças fazem o discurso hipócrita, mostrando as lágrimas dos refugiados”, disse.

O embaixador responsabilizou os EUA pela destruição do país, a exemplo do que fez no Vietnã, no Paquistão e Iraque. “Onde eles entram deixam o problema maior”, disse. “O povo brasileiro precisa saber disso e ficar atento. A melhor ajuda que o Brasil pode dar à Síria é nos apoiar para acabar com o estado de terror. O melhor lugar para os sírios é na Siria.”

Também participaram do encontro os deputados federais Wadson Ribeiro, presidente da Frente Parlamentar Brasil-Países Árabes, a deputada federal Jô Morais, presidente da Comissão de Relações Internacionais da Câmara dos Deputados, o vereador Gilson Reis, o representante de relações internacionais do governo do estado, Rodrigo Perpétuo, o cônsul da Síria em Belo Horizonte, Emir Cadar, e o padre George Massis, pároco da Igreja do Sagrado Coração de Jesus, que tem acolhido refugiado sírios em Minas Gerais.

Tradição de luta pela paz

O presidente Kerison Lopes, lembrou os 70 anos do Sindicato dos Jornalistas, completados no dia 6 de setembro, e sua tradição de luta pela paz, desde sua fundação, em 1945, ano em que terminou a 2ª Guerra Mundial. “Defender a paz na Síria é apoiar o povo sírio para que derrote o terrorismo financiado pelo imperialismo norte-americano”, disse.

A Força-Tarefa para Receber e Auxiliar Refugiados em Minas Gerais foi criada no começo de setembro por iniciativa de um grupo de ativistas sensibilizados com a situação dos refugiados sírios. Ela vem se reunindo no Sindicato e já recebeu mais de meia tonelada de roupas e alimentos, não só para os sírios, mas também para os haitianos, que estão em maior número e situação mais precária no estado. No documento entregue ao embaixador, a Frente apresenta outros pleitos dos refugiados sírios, especialmente a renovação de passaportes – que custaria cerca de 400 dólares – e acesso a documentos, como certidões e diplomas, necessários para sua vida no Brasil.

O embaixador reconheceu que há muitos passaportes falsos. Ele explicou que a Síria é um país destruído pelo terrorismo. “Os sírios, hoje, são um povo indefeso, nessa guerra que já dura quatro anos e meio. Um povo sem energia, sem escolas, sem hospitais”, disse.

 

(Foto: O presidente Kerison Lopes fala no encontro com o embaixador Ghassan (de gravata vermelha). Crédito da foto: Rafael Gaia / Mídia Ninja.)

Veja também

Emissoras educativas mineiras migram da Rede Minas para a TV Cultura de SP

Emissoras de televisão educativas de Minas Gerais lideradas pela Associação Mineira de Rádio e Televisão ...

Um comentário

  1. ME EMOCIONEI MUITO COM OS RELATOS DO EMBAIXADOR GHASSAN NSEIR SOBRE OS REAIS ACONTECIMENTOS NA SÍRIA. PUDE PERCEBER EM SEU OLHAR A TRISTEZA PELOS ACONTECIMENTOS. QUE DEUS OS ABENÇOE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *