Casa do Jornalista tem nova direção e já começa a trabalhar

A diretoria colegiada do Sindicato dos Jornalistas, constituída pela Diretoria Executiva, Diretoria Setorial e Conselho Fiscal, aprovou por unanimidade, no fim de semana passado, a composição da nova direção da Casa do Jornalista. A reativação da Casa do Jornalista, cuja direção é formada por nomes ilustres e representativos da trajetória do Sindicato, é mais um item do programa da chapa eleita em 2014 que está sendo cumprido. Nesta terça-feira 4/8 ela se reuniu pela primeira vez.

A Casa do Jornalista desempenhará importante papel nas comemorações dos 70 anos do Sindicato, a serem completados no próximo dia 6 de setembro. A primeira atividade programada será uma festa de confraternização e lançamento da logomarca comemorativa da data, com presença de convidados que fazem parte da história da instituição. “A partir de agora, todas os projetos do Sindicato farão parte das comemorações”, informou o presidente Kerison Lopes.

Recuperação da memória

A nova direção da Casa do Jornalista é presidida por Mauro Werkema (foto) e composta também por Américo Antunes, Aloísio Lopes, Dinorah Maria do Carmo, Guy de Almeida, José Maria Rabêlo, João Paulo Cunha, Vilma Fazito, Jane Medeiros, Vilma Tomaz e Eduardo Costa. Por sugestão de Werkema, a diretora Vilma Tomaz, que tem vasta experiência na função, atuará como coordenadora executiva da Casa.

Na sua primeira reunião, a nova direção Casa do Jornalista definiu que a recuperação da memória da instituição será seu trabalho prioritário. “A Casa tem uma grande e bela história, mas precisa pôr em prática um programa de ações”, disse Mauro Werkema. Ele lembrou que inúmeros acontecimentos importantes para a história de Minas e do Brasil tiveram como sede a Casa do Jornalista, especialmente durante a resistência à ditadura.

A primeira ideia a ser executada pela nova gestão é a realização de uma ampla pesquisa sobre a história da Casa, com o objetivo de gerar um livro, além de um catálogo, uma exposição e uma página na internet para a qual jornalistas e sociedade poderão enviar imagens e documentos que ajudem a contar a história da Casa. Outros projetos discutidos foram a digitalização do arquivo do Sindicato e a retomada do projeto de modernização da sede, com a construção de um edifício anexo.

 

Veja também

ALMG tem surto de covid depois de convocar todos os terceirizados, muitos sem direito a plano de saúde

Já são seis trabalhadores da área de comunicação da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (quatro ...

2 comentários

  1. ANTONIO VARGAS V. JR.

    ESSA TURMA É DO BEM.. SERÁ UM EXEMPLO DE ÉTICA.

    PARABÉNS

  2. Geraldo David Camargo

    Legal. E tudo que tem Mauro Werkema à frete, evidencia-se tratar de coisa séria e de fôlego longo. Ele é muito bom em tudo que faz.

Deixe uma resposta para ANTONIO VARGAS V. JR. Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *