A Tribuna de Santos continua proibida de demitir

O jornal A Tribuna de Santos continua proibido de demitir, sob pena de multa de R$ 15 mil por funcionário dispensado. A decisão foi mantida na tarde de quinta-feira (23/7), em audiência de conciliação conduzida pelo vice-presidente judicial do Tribunal Regional do Trabalho, desembargador Wilson Fernandes. O jornal também terá que prorrogar o plano de saúde dos demitidos por mais 30 dias, para preservar o direito dos trabalhadores de se manterem no plano futuramente, enquanto as negociações continuam no tribunal.

No dia 7 de julho, o diário santista dispensou 18 funcionários de uma só vez, entre eles dois dirigentes sindicais, em clara prática antissindical. Tudo isto em meio à campanha salarial dos jornalistas do litoral e interior, além de rumores que davam conta de que novas demissões poderiam ocorrer, instaurando um péssimo clima no ambiente de trabalho da empresa.

A audiência foi um pedido do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (SJSP) e do Sindicato dos Empregados da Administração das Empresas Proprietárias de Jornais e Revistas de São Paulo. Uma nova audiência foi marcada para o início de agosto, quando a empresa deverá apresentar no Tribunal Regional do Trabalho uma proposta de conciliação para as demissões já realizadas.

Benefícios e readmissão

A concessão de um pacote de benefícios extras para os demitidos e a readmissão dos dois dirigentes sindicais dispensados foi a proposta feita pelo desembargador, para uma conciliação da empresa com os sindicatos. Alegando falta de autonomia para decidir, os representantes da empresa só aceitaram manter o plano de saúde por mais 30 dias e continuar a negociação. Em sua decisão, o desembargador determinou que na próxima audiência a empresa envie um representante com “poderes bastantes para conciliar e assumir compromissos”.

Após as demissões, os sindicatos procuraram o TRT e foi instaurado um dissídio coletivo. O Sindicato dos Jornalistas de São Paulo também suspendeu provisoriamente as negociações da campanha salarial com o patronato do interior, em resposta às dispensas promovida pelo jornal.

Fonte: Sindicato dos Jornalistas de São Paulo

(Publicado no portal da Fenaj)

Veja também

Fenaj assume coordenação do FNDC para o biênio 2020/2022

O Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), entidade com quase 29 anos de história ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *